Para viver um grande amor


1. Para viver um grande amor lembre-se, com regularidade, como começou o seu relacionamento. Reveja as fotos antigas, não esqueça de como foi o primeiro encontro e volte a ouvir as músicas-tema de sua relação, entre outras atividades que te façam lembrar de como amar fez bem ao seu coração. Romantismo vai além do sexo. Sexo sem romantismo é um desperdício de vida e de propósito, nenhuma alma sã suporta viver estre tapas e beijos.


2. Para viver um grande amor deixe de complicar o que só traz felicidade se for simples. Evite as “tempestades em copo dágua” tão comuns nos relacionamentos medíocres. Acabe, já, com as arengas, querer ganhar no grito e na violência, fazer greve de sexo e de carinho.


3. Para viver um grande amor evite o que mata o amor. Existem situações que limitam e até matam o amor. Amor morre, gente, como tudo na vida. Mantenha suas finanças em ordem, perdoe rapidamente, converse sem pudor sobre vida sexual, fuja da rotina sempre que puder e viva sua vida sem deixar de valorizar sua afetividade.


4. Para viver um grande amor experimente todos os prazeres do relacionamento, sem tabus ou pudores. As melhores coisas de um casamento são os detalhes. O toque, o abraço, o beijo, o estar sozinhos, o passear, o sentar no colo, o cafuné – até o tirar cravos e espinhas!Ficar sem fazer nada, deitado na grama, olhando as árvores, , o céu, curtindo cada partícula de segundo. Isso é vida, o resto é besteira.


5. Para viver um grande amor se relacione sempre como se estivesse namorando. Quem sofre a maior dor no Dia dos Namorados não são os solteiros – são os casados frustrados. Uma das grandes contradições da afetividade é que os casados podem viver toda a “sensorialidade” de um relacionamento, mas logo perdem o interesse um no outro. Tão perto e tão longe do ideal de uma vida romântica.


6. Para viver um grande amor só se relacione se for por amor. Não case por causa do fogo da paixão sexual ou por que ele é lindo ou porque ela é bem de vida ou porque os outros estão casando ou para não ficar só. Nenhum desses motivos trará a felicidade que você pretendia obter. Ao contrário. Uma vida infernal a dois será a recompensa por ter “amado” sem amor.


7. Para viver um grande amor não minta. A gente suporta tudo num relacionamento, doenças, abalos financeiros, mudanças, desemprego. Menos, mentira. A mentira é o fim de tudo que se possa chamar amor. O amor não resiste a falácia, ao engano, à traição.


8. Para viver um grande amor não confie nas emoções. Emoções são como as areias de um deserto: mudam ao sabor do vento, das circunstâncias, das estações do ano. As emoções são instáveis como instáveis são os humores do homem e da mulher. Um grande amor precisa estar alicerçado na confiança e na inabalável certeza da palavra empenhada, para o que der e vier. Lembre-se do insofismável “na saúde ou na doença, na riqueza ou na pobreza”.


9. Para viver um grande amor creia na supremacia do amor! “Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e näo tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine. E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e näo tivesse amor, nada seria. E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e näo tivesse amor, nada disso me aproveitaria. O amor é sofredor, é benigno; o amor näo é invejoso; o amor näo trata com leviandade, näo se ensoberbece. Näo se porta com indecência, näo busca os seus interesses, näo se irrita, näo suspeita mal; Näo folga com a injustiça, mas folga com a verdade; Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor nunca falha; mas havendo profecias, seräo aniquiladas; havendo línguas, cessaräo; havendo ciência, desaparecerá; Porque, em parte, conhecemos, e em parte profetizamos; Mas, quando vier o que é perfeito, entäo o que o é em parte será aniquilado. Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino. Porque agora vemos por espelho em enigma, mas entäo veremos face a face; agora conheço em parte, mas entäo conhecerei como também sou conhecido.Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor.

Nenhum comentário:

Receba mensagens desse blog no seu E-mail