Para quem eu irei?


Jesus perguntou aos discípulos: “...e vós, quereis também vos retirar?”. O contexto é sintomático. Ele alimentara mais de cinco mil pessoas, pão e peixe de graça. Na manhã seguinte, a população estava dependente. Vieram e pediram mais: “Rabi, estamos te procurando faz tempo!” A resposta deixou todos aturdidos: “Eu sou o pão da vida... comam a minha carne e bebam o meu sangue para terem vida eterna!” Foi só o Mestre trocar benesse por Palavra que eles ficaram com fastio. Sumiram todos. Só permaneceram os discípulos. No fim e ao cabo somente os discípulos ficam. Jesus não se desesperar: “Gente volte, eu mudo de estratégia, venham, eu dou pão com manteiga... com carne... com... foram embora!” Perguntou simples assim: “vocês querem ir também?” Pedro responde pelo grupo e por mim: “Para onde?” – “Para quem iremos nós. Só tu tens as palavras de vida eterna. Nós temos visto e crido que Tu es o Cristo, o Filho do Deus Vivo!” Faço minhas as palavras do rude e sábio pescador. Para quem, eu, Magela, vou? Voltar para o “montilla com coca-cola? Ou para a veneração de uma escultura? Ou para a melancolia? Para onde ir, gente? Para o ateísmo? Para a idolatria? Para o formalismo? Em e só em Cristo minha alma achou descanso, meu espírito vida e meu corpo paz! “E vós, quereis também nos retirar?” Deus me livre deixar de ser de Cristo Jesus!

Nenhum comentário:

Receba mensagens desse blog no seu E-mail