Orgulho Fatal

Só existe um livro que eu indicaria a todos os futuros pastores e líderes evangélicos: Orgulho Fatal, de Richard W. Dortch. É a estupenda história de um homem de Deus que, vitimado pelo orgulho fatal do título, criou um império financeiro televisivo nos Estados Unidos na década de 1970. O apogeu do que eles chamavam de ministério se deu na década de 1980, quando escândalos sexuais e de fraude fiscal engolfou Jim Bakker, o mais assistido televangelista daqueles tempos. Orgulho Fatal é um "ousado desafio a este mundo sedento de poder". Richard W. Dortch escapou do aperto da serpente, mas somente depois de passar quase dois anos na cadeia. Nos EUA, ladrões de dinheiro de gente humilde são punidos. Um texto do livro: "A pergunta que cada líder deve fazer é: 'Tomaria eu o mesmo compromisso com esse chamado, se não fosse o líder? Seria um cristão se não fosse pastor? Onde você estaria sem um título, seja presidente, gerente, pastor auxiliar, pastor, diácono, professor? Algumas pessoas, quando perdem o cargo, emprego ou título, sentem que perderam tudo'". No mundo em que vivemos, quando grande é quem vende milhares de CDs ou aparece na TV, precisamos do oportuno alerta de Orgulho Fatal. Ele já destruiu a alma de gente que eu amava de verdade. Por trás da aparencia de santidade e piedade, o que se vê hoje é um bando de gatunos, exploradores da miséria de um povo. Você é grande no Reino de Deus? Pretende ser grande no Reino de Deus? Leia Orgulho Fatal, em nome de Jesus. Antes que seja tarde demais.  

Nenhum comentário:

Receba mensagens desse blog no seu E-mail