Odiados pelo mundo, querendo distância dele


Um dos alertas mais fortes de Jesus à Igreja foi: "Se o mundo vos odeia, saibam que primeiro me odiou a mim". O mundo odiou Jesus. Odiou a ponto de armar contra Ele. Odiou a ponto de forçar Pilatos a lavar as mãos. Odiou a ponto de influenciar como fermento o povo a pedir a crucificação Dele. Odiou a ponto de preferir ver Barrabás solto a ver Jesus salvo. O mundo odiou Jesus com uma rejeição que faz minhas entranhas revirar. Dá ânsias de vômito o que o que Caifás fez com Jesus. Tentei assistir A Paixão de Cristo de Mel Gibson. Não passei da metade. O que fizeram com Jesus Cristo é malignidade pura. O ódio era mortal, inabalável, cruel. Jesus advertiu a Igreja e eu repito: "Se o mundo vos odeia, saibam que primeiro me odiou a mim". O mundo odiou Jesus, que era o Mestre. Como a Igreja pensa que será incluída, amada e benquista pelo mesmo mundo que crucificou? Vejo todo dia o ódio pelo verdadeiro Evangelho da Graça. Sinto o cheiro de enxofre dos fariseus, sempre que topo com um. Sei que, se pudesse, o mundo baniria o Evangelho e ficaria somente com a religião. O mundo detesta os verdadeiros filhos de Deus. O fariseus, escribas, herodianos e anciãos do Templo destestam os filhos livres da Graça. Veja como pais odeiam filhos que se convertem! Observe como todos os direitos dos crentes são relativizados! Veja como somos excluídos só porque somos de Deus. Veja como nos amam somente em tempo de eleição! O mundo odeia a Igreja Evangélica porque odiou antes o Senhor da Igreja Evangélica. Sinta o nariz torcendo, sinta a má vontade, sinta o desprezo, sinta a arrogância desse mundo contra toda purea do Evangelho. Eu não tenho nenhuma esperança de que o ódio deste mundo se transforme sequer em consideração pela Igreja. Não quero o reconhecimento do mundo. Dele, quero somente distância. Nunca se sabe do que ele é capaz.

Nenhum comentário:

Receba mensagens desse blog no seu E-mail