Comendo o fruto do que se fala


Em Provérbios 18.7,20,21 Salomão, inspirado por Deus, fala sobre o fruto dos nossos lábios. Quando falamos podemos gerar um monstro ou dar a luz a uma bênção. Desconheço o número de pessoas com a auto-estima nos pés por causa das palavras negativas que ouviu a vida toda – ou que profetizou desgraças para si mesmo a vida toda. Sei que é gente demais… Também sei de pessoas que tem um modo saudável de conversar. Sabem falar de seus dissabores sem deprimir seu ouvinte. Conhece seus limites e deseja superá-los – mas sem desesperos verbais. Sugiro que você faça uma higiene bucal. Calma, estou falando da maneira de falar. Por exemplo, acostume-se a dizer: “eu sou feliz”, “eu nasci para vencer”, “eu sou crente de verdade”, “eu amo viver”, “eu tenho autoridade do céu”, “eu nasci de novo”, “ta difícil, mas a vitória é nossa”, “eu te perdoo”, “eu pisei na bola, mas vou consertar”... Você pode até dizer “eu sou bonito(a)”. A mulher do fluxo de sangue milagrosamente curada por Jesus podia ter dito “não tem jeito para mim” e morrido de acordo. Decidiu dizer “Jesus vai me curar” e partiu em busca da vitória. Comeu do que falou e recebeu cura divina, perdão de pecados e vida eterna.

Nenhum comentário:

Receba mensagens desse blog no seu E-mail