Uma Super Nani em cada lar, por favor!


As criancinha de hoje estão virando os pequenos ditadores do lar. Muito bem nutridos, cevados até, as crianças estão mandando em casa. É simplesmente lamentável como, sob o manto do amor, a gente está educando mal nossos filhos. Meninas e meninos de seis anos estão virando o centro da família, ao redor de onde pais, tios e avós gravitam, exigindo atenção total e irrestrita, retrucando quando os pais ousam dar sua opinião, quase virando uns selvagens. Não é à-toa que o programa da Super Nani (que nunca assisti, mas que dou graças a Deus por existir), virou programa obrigatório para as famílias. Não me surpreende a moça que, com o namorado e o cunhado, mataram a golpes de barra de ferros, os pais. Criadas sem noções de limites - ou abusadas pelos que deveriam cuidar delas - a infância está ameaçada. Tenho pena das futuras gerações. Pena, não. Medo. Eles pensam que o mundo está ai para servi-los. Os pais ensinaram que elas merecem tudo, que basta chorar e espernear que a vida lhes sorri, que elas são mais importantes que... Deus! Não é de se estranhar que os monstrinhos atormentem a vida dos professores, envergonhem os pais diante das visitas, não saibam se portar em ambiente nenhum - os pais são são feitos de idiotas todo dia, toda hora. "Eu não sei o que fazer com meu filho, pastor!", "Já pus de castigo e não resolveu...!", "O pai também não ajuda!"... as desculpas são muitos, por favor não as repita. Se você não educar seu filho hoje, amanhã o que já é ruim hoje vai ficar pior. Não estou profetizando. Apenas, alertando.

Nenhum comentário:

Receba mensagens desse blog no seu E-mail