A vida é curta (livreto escrito em 2001)




Depois que o World Trade Center desabou em Nova York ficou bem
mais nítida a idéia de que não somos os senhores de nossa vida.

Ofereço este texto a todos que sobreviveram a algum infortúnio, pessoas que descobriram de forma dramática o quanto a vida pode nos surpreender e porque devemos vivê-la intensa e legitimamente.

Faze-me conhecer, Senhor, o meu fim, e a medida dos meus dias qual é, para que eu sinta o quanto sou frágil. Eis que fizestes os meus dias como a palmos; o tempo da minha vida é como nada diante de ti; na verdade, todo homem, por mais firme que esteja, é totalmente vaidade. Na verdade, todo homem anda como uma sombra; na verdade, em vão se inquietam; amontoam riquezas e não sabe quem as levará. Agora, pois, Senhor, que espero eu? A minha esperança está em ti (Salmo 39.4-7).
Estava em minha casa na manhã do dia 11 de setembro de 2001. Era feriado municipal em Surubim e preparava as mensagens que deveria entregar a Igreja do Senhor que se reúne no Templo da Igreja Maranata no domingo seguinte. De repente, perto das nove da manhã, a televisão da sala anunciou que um avião havia se chocado contra uma das duas imensas torres do World Trade Center, em Nova York (perdoe a ignorância, mas eu nunca ouvira falar delas. Como punição, nunca estudei tanto sobre elas como nas duas semanas seguintes). Corri para assistir a tragédia ao vivo e em cores, sem saber que iria ser testemunha (junto com quase 3 bilhões de espectadores) do maior atentado da História. Vi o segundo avião atingindo a outra torre e ouvi o repórter admitir pela primeira vez que estávamos assistindo a sucessivos ataques terroristas contra a maior e mais importante nação do mundo. Os Estados Unidos sofreram duro golpe naquele dia e acredito que essa ferida vai demandar muitos anos para que se cicatrize. Eles foram humilhados tão intensamente que levará décadas até poder empinar de novo o nariz.
Enquanto assistia o desenrolar da tragédia americana, vítima de fanáticos muçulmanos, não pude deixar de pensar no que o salmista escreveu sobre a simplicidade da vida no Salmo 39. Para o poeta, a vida é como nada diante da eternidade, o homem é totalmente vaidade, anda como a sombra, e em vão se inquieta, devido a fugacidade de nossa existência. Se me pedissem para resumir em poucas palavras o que me atravessava o coração vendo mais de 6 mil pessoas morrerem, a resposta seria: a vida é lamentavelmente curta.
Depois de concluir a leitura do texto bíblico acima e de sobrepor as dramáticas imagens daqueles dois gigantescos prédios desmoronando, cheguei humildemente a algumas conclusões que gostaria de compartilhar com o amado leitor. Creio que será um exercício legítimo que nos ajudará a enxergar a nossa existência de uma maneira bem menos egoísta, mesquinha e improdutiva.
A VIDA É CURTA, POR ISSO EXPRESSE TODA A SUA GRATIDÃO ÁS PESSOAS QUE VOCÊ AMA. O celular desempenhou papel importante nessa catástrofe. Por ele, deixou-se últimas palavras registradas, se fez conexão com familiares, se pediu socorro e no desespero final se fizeram despedidas emocionantes. Numa delas, uma senhora elegante (pelo que pude concluir da foto que circulou pelas principais emissoras do país) se despediu de seu marido: Bob, eu te amo. Estou dizendo que te amo muito. Ao assistir este adeus, inquiri a mim mesmo: por que essa ansiedade para dizer que amava o marido? Por que agora gastar seus últimos segundos de vida para afirmar e confirmar seu amor pelo Bob? Entre todas as respostas para esta pergunta, uma me fez refletir sobre nosso relacionamento com as pessoas que nos cercam e que de alguma maneira nos são importantes. Talvez a esposa de Bob tenha discutido com ele naquela manhã, talvez há meses ou até anos ela não lhe dirigisse palavras de elogio, talvez ela não tivesse o costume de dizer I love you, Bob.
Em nome de Jesus Cristo, não cometa o erro de calar-se diante de alguém que você preza ou ama. Abra sua boca e expresse sua gratidão e seu carinho pelas pessoas importantes que o Senhor colocou em sua vida, para ser benção, para te ajudar, para te dar prazer, para te proporcionar o senso de valor. Não sabe o que dizer às pessoas que ama? Está encabulado com a idéia de se fragilizar diante de pessoas tão íntimas? Deixe-me encorajá-lo. Eis algumas sugestões: minha querida, gosto muito de você. Você é muito importante para mim. Quando Deus quis me abençoar me deu você como esposa. O contrário também será apreciado: meu querido, dou graças a Deus pela tua vida, te amo muito e sou muito feliz depois que te conheci. Não limite elogios verdadeiros somente a seu namorado, noivo, ou cônjuge. Fale a seu pai, tio, amigo, pastor ou outra figura qualquer o quanto você aprecia sua amizade, suas palavras, sua presença.
Minha mãe se chamava dona Deuza. Ela morreu vítima de câncer aos 63 anos. Num dos últimos momentos que fiquei a sós com ela, balbuciei junto a seu ouvido: mamãe, eu amo muito a senhora. Ela respondeu com um fiozinho de voz que amava muito a mim e a meus sete irmãos. Aquele momento foi muito importante para mim. Mas tem uma coisa que sempre me incomoda desde então (e que penso que me causará desconforto até minha morte). Sabe o que eu lamento até hoje? Não ter dito muitas vezes aos meus falecidos pais e irmãos vivos o quanto os admirava ou admiro. Não me compreenda mal. Não é que eu nunca disse que amava meus parentes, eu só expressava esse apreço da mesma forma equivocada que a maioria de nós praticamos. Eu dizia que os amava dando presentes nos dias comemorativos, visitando de vez em quando. Mas, o que as pessoas de fato querem é ouvir o quando as amamos, não somente receber bugigangas no dia do seu aniversário. Sei que está parecendo novela mexicana – soa meio piegas –, mas ninguém pode ficar plenamente satisfeito em expressar sua gratidão somente pressionado pela sombra da morte. Por isso, não perca nenhum segundo mais. Feche este livreto, vá até alguém que seja importante demais para você, dê-lhe um abraço ou aperte sua mão e abra sua boca em um elogio sincero. Não espere um avião atingir sua vidinha para que se lembre das pessoas que lhe são tão caras. Jesus disse a seus discípulos: vos ameis uns aos outros, como eu vos amei a vós, que também vos ameis uns aos outros. Talvez a pior tragédia de um casamento seja amar de paixão, mas só saber traduzir essa amor em forma de presentinhos idiotas (estofado novo, casa lajeada, fogão autolimpante, perfume da avon). Dizer “eu te amo” sem ser na hora do acasalamento e sem ser à beira do túmulo faz bem a todos os envolvidos e acrescenta sublimidade ao amor de qualquer ser humano.
A VIDA É CURTA, APROVEITE INTENSAMENTE O TEMPO QUE ELA DURAR. Dias depois que as Torres Gêmeas ruíram, o número real de vítimas começou a ser computado e anunciado. Da última vez que ouvi, fala-se em mais de seis mil mortos. Eram homens e mulheres, jovens, saudáveis, com literalmente o mundo a seus pés. Quem poderia imaginar que suas vidas pudessem ser ceifadas daquela maneira e naquele dia? Como durou pouco a vida daqueles empresários, técnicos, operários, tecnocratas. Esse fato nos leva a concluir que a vida deve ser vivida de forma intensa, pois ela pode cessar a qualquer momento.
Infelizmente, quantos seres humanos vivem vidas medíocres, encaixotadas, vidinhas na real expressão da palavra? Quando vejo pessoas cujo único objetivo parece ser apenas juntar dinheiro, ou levar para a cama todas as mulheres que conhece (ou desconhecidas, quando pretendem variar), ou se gastar na prática de uma religião que nem certeza de vida eterna pode garantir, fico imaginando a surpresa que terão quando o fio de prata da vida se partir. Que decepção horrível ouvir: louco, esta noite te pedirão a tua alma, e o que tens preparado para quem será? (Lucas 12.20). Aproveite e leia toda a parábola do rico insensato contada por Jesus. Esse negócio de dormir até 10 da manhã, ou trabalhar feito um louco 15 horas por dia revelar-se-á no final da vida um péssimo investimento.
O diabo, sabendo que a vida é curta, e que o chá dele já esta escoando também, tem sussurrado no ouvido de nossa geração: a vida é curta, caia na gandaia, mocinho. Beba todas que puder, não precisa estudar muito, experimente essa ervinha, vai ser um viajão e tanto! As jovens também ouvem o sibilar da voz que surge das trevas: essa história de virgindade é coisa do século passado, aproveite a vida para exigir direitos iguais aos homens (durma com todos que puder também), faça tudo que eles fazem. Libere-se toda, não se reprima, mocinha!
Essa filosofia de estragar a vida como se ela se acabasse na hora da morte, além de falsa (pois há vida eterna e morte eterna após a morte) é indigna do ser humano, que foi feito à imagem e semelhança de Deus. Por isso, preste atenção a este alerta: Lembra-te do teu Criador nos dias da tua mocidade, antes que venham os maus dias, e cheguem os anos dos quais venhas a dizer: não tenho neles contentamento; antes que se escureçam o sol, e a luz, e a lua, e as estrelas, e tornem a vir as nuvens depois da chuva (...) antes que se quebre a cadeia de prata, e se despedace o copo de ouro, e se despedace o cântaro junto à fonte; e se despedace a roda junto ao poço; e o pó volte à terra, como o era, e o espírito volte a Deus, que o deu (Eclesiastes 12.1,2,6,7).
O bom da vida geralmente está nos detalhes. Um dia destes, levei minha esposa e meus dois filhos para almoçar num restaurante numa cidade perto de onde moramos. Almoçamos capão guisado, prato simples e gostoso do nemu nordestino. Depois fomos descansar e ver nossos filhos se divertindo na Pedra do Navio, único ponto turístico de Bom Jardim (Agreste de Pernambuco) que vale a pena ser visitado. Debaixo de uma enorme pedra, descansando no colo de minha esposa e vendo a alegria dos meus pequenos aruás (é assim que carinhosamente chamo meus filhotes), fiquei feliz de verdade, como há muito não experimentava a sensação. A vida é curta e pode ser prazerosa, sem ser uma afronta ao Deus Santo. Da próxima vez que pensar em se divertir, pense num programa que não ofenda a Deus e que traga legítimos momentos de lazer para sua família. A idéia de encher a cara de aguardente com os amigos e deixar a esposa em casa assistindo Gugu e trocando as fraudas das crianças não é o conceito de diversão que agrada a Deus.
A VIDA É CURTA, E O DIABO FARÁ TUDO PARA TORNÁ-LA MENOR AINDA. Horas depois que aviões tripulados por pilotos suicidas atingiram as duas torres mais famosas de Nova York e o Pentágono, centro militar dos Estados Unidos, o presidente George W Bush veio a público prestar suas primeiras declarações em entrevistas disputadíssimas. Disse que se tratava do maior atentado terrorista da História e, claramente assombrado, afirmou que os Estados Unidos fora vítima de um medonho ataque demoníaco. Se ele tinha consciência total do que anunciara ou se era apenas uma questão de semântica, não sei agora precisar. O presidente, contudo, acabou dizendo algo absolutamente verdadeiro: o diabo detesta você e fará de tudo para liquidar com sua vida. A bíblia alerta para esse ódio mortal dirigido contra a Humanidade: Ai dos que habitam na terra e no mar! Porque o diabo desceu até vós e tem grande ira, sabendo que já tem pouco tempo (Apocalipse 12.12). O diabo está com seus dias contados, sabe que vai pagar cara cada delito cometido e por isso investe com muito mais furor contra a Humanidade que, ironicamente, acredita que um ser como ele não existe – é coisa do imaginário medieval. Sabe, por exemplo, qual é o maior erro de Xuxa? Ela acredita em duente, ama duente, cultua duente, mas não acredita na existência do diabo. Ela é uma legítima representante dessa geração crédula e esotérica, mas cega para o que de fato existe na espera espiritual.
Deus deu início à vida, o diabo detonou a morte no Éden. O Senhor é Deus de paz, o diabo gosta de incentivar o stress e a depressão. Jesus veio para nos libertar através do Evangelho crido e vivido, o diabo patrocinou a invenção de todo tipo de religião que conduz o homem a Maria, Alan Kardec, a pedras e cristais ungidos, afastando muito o homem da pessoa de Jesus Cristo. O Senhor deu origem ao primeiro matrimônio, coisa bonita e boa, mas o diabo fabricou a dissolução do casamento e deu o nome pomposo de divórcio amigável, separação por incompatibilidade de gênios ou termos semelhantes. Há até quem diga que se separar de seu cônjuge é plano de Deus. O Senhor quer que creiamos em milagres, no Deus que mexe na realidade humana trazendo solução do Céu para nossas crises mais acentuadas, mas o diabo sibila no ouvido do sofredor que o suicídio é uma saída honrosa para suas angústias.
Tive a oportunidade de visitar um pai de família que sofrera um grave acidente de moto. Com a perna direita cheia de pinos de platina, ele contou como aconteceu o acidente. Disse que saiu de casa para beber com um amigo. Depois da farra, o colega de aguardente pediu para pilotar a moto. Ele permitiu, apesar de saber que seu amigo estava sendo perturbado pelo diabo havia anos. Houve até ocasiões em que vira o amigo, cheio de demônios, quebrar todos os móveis de sua casa, sem que ninguém conseguisse detê-lo. Montaram na moto e estavam voltando para casa quando sentiu seu amigo acelerar a moto numa ultrapassagem pra lá de arriscada. Acordou na sala de cirurgia onde implantavam os pinos de platina em sua perna. Seu colega perdeu massa encefálica e morreu recentemente após horrível e longo sofrimento (segundo me informaram posteriormente). Entende o que pretendo ilustrar com essa triste história? A vida é curta e o diabo tem sempre criativas formas de encurtá-la. Fique atento a partir de hoje.
Em nome de Jesus Cristo, deixe-me dizer uma coisa: o diabo quer que você morra (fumando, entupido de álcool, pulando de uma ponte ou por outro meio qualquer), mas em seu favor está o Filho de Deus, que veio para frustrar toda cilada das trevas contra você, pois para isso o Filho do Homem se manifestou, para desfazer as obras do diabo. Você não vai morrer, vai é se levantar dos destroços onde foi lançado pelo diabo e gritar com o resto de forças que ainda lhe resta: se Deus é por nós, quem será contra nós? Aquele que nem mesmo a seu próprio Filho poupou, antes, o entregou por todos nós, como nos não dará com ele todas as coisas? (Romanos 8.31,31).
A VIDA É CURTA, POR ISSO PREPARE-SE PARA O FIM DELA. Talvez o maior equívoco da vida é não se preparar para a morte. Muita gente que subiu até os andares mais altos das Torres Gêmeas estava preocupada com o computador novo que ia comprar no fim do ano, com a cor do carpete de sua residência, com o aumento de salário que iria solicitar ao patrão, com o filho gripado que deixou de cama com 38,5 graus de febre. Na verdade, estamos sempre preocupados com a vida, em como solucionar pequenas pendências, mas relegamos assuntos realmente importantes como o fim da própria existência para depois, o quanto mais distante melhor. De certa forma, chegamos sempre defasados no fim da vida.
Por favor, você já parou para pensar que não é eterno, que um dia sua vida neste planeta chegará ao fim, que um dia estarás estendido num caixão com muita ou pouca gente a lamentar sua partida? Li a uma interessante estória que gostaria de compartilhar agora. Três homens morreram num acidente de carro e vão para a mansão dos mortos, a espera do julgamento final. Lá, começam a conversar e alguém pergunta para passar o tempo: vocês estão no caixão e suas famílias e seus amigos estão ao redor do caixão, chorando, pranteando e lamentando. O que gostariam de ouvi-los dizer sobre você? O primeiro respondeu: Eu gostaria que dissessem que eu fui um grande médico e um ótimo pai de família. O segundo respondeu quase chorando: eu gostaria que dissessem que fui um esposo maravilhoso e um professor de grande importância. Quando chegou a vez do terceiro, ele respondeu: Sinceramente? Eu gostaria que eles dissessem "OLHA GENTE, ELE ESTÁ SE MEXENDO!!!". Apesar de ser uma anedota meio infame, tenho motivos para crer que esse será o sentimento predominante no após morte. Muita gente vai querer voltar para tentar refazer a vida, no que será frustrado. Vai ser horrível. O profeta Amós tentou acordar a nação de Israel para essa realidade. Ele bradou: prepara-te, ó Israel, para te encontrares com o teu Deus (Amós 4.12). Acredito que quando a morte vier cobrar a fatura poucos lhe responderão como o salmista: preparado está meu coração, ó Deus, preparado está meu coração.
O pastor Israel Belo de Azevedo, conferencista e escritor batista, produziu um interessante texto sobre a fugacidade da vida, quando analisou o uso da expressão “se Deus quiser”. Leia sua opinião: “a expressão se Deus quiser caiu num vazio, mas é profundamente bíblica. Podemos e devemos planejar, mas não podemos confiar em nossos planos. Nós pomos e Deus dispõe. Podemos e devemos dizer se Deus quiser, desde que seja a expressão de nossa fé. Se não for, será palavra vazia; será tomar o nome de Deus em vão. De igual modo, quem pode (e todos podemos) fazer o bem e não faz (e, às vezes, não fazemos), cometemos o mesmo pecado: tornar vão o nome de Deus, em que dizemos crer. A humildade diante de Deus e o compromisso para com Ele devem andar juntos, porque a religião verdadeira não pode viver sem estas duas virtudes”. A VIDA É CURTA, POR ISSO MANTENHA SUA ESPERANÇA DE VIDA ETERNA EM DEUS. Muita gente que morreu soterrada no World Trade Center estava segura de que o FBI, a CIA, o Pentágono ou a polícia mais bem preparada do mundo lhe daria proteção total, não somente naquele dia, mas todos os dias em que estivessem em Nova York. Esse engano lhes custou muito caro. Os sistemas mundiais, as siglas tão bonitas dos órgãos internacionais, as mais diversas e populosas religiões não podem garantir um minuto sequer a mais de vida.
Tenho, porém, boas novas para você. Jesus Cristo tem vida eterna para te dar, coisa que nada neste universo pode proporcionar. Leia com bastante atenção as lindas promessas da bíblia a esse respeito.
Todo aquele que o pai me dá virá a mim, e o que vem a mim de maneira nenhuma lançarei fora. As minhas ovelhas ouvem a minha voz, eu as conheço, e elas me seguem; e dou-lhes a vida eterna, e nunca hão de perecer, e ninguém as arrebatará das minhas mãos.
Eu sou a ressurreição e a vida, quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá. Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo, tu e a tua casa. A ciência vem fazendo sucessivos acenos ao longo do tempo, prometendo alongar a vida do homem. Não desprezo esses avanços, mas jamais me convencerei de que não passa de alongamento de vida e não de vida eterna. Alguns cientistas anunciaram que até 2005 o homem viverá 105 anos. Outros reuniram a imprensa mundial para anunciar que com dieta balanceada e fuga de stress poderemos viver até 20 anos mais. Há muito ouvi especialistas falando sobre o congelamento de seres humanos após a morte. Os que pagaram os olhos da cara para se submeter ao congelamento, morreram na esperança de que num futuro digno de filme de ficção científica poderão ser ressuscitados por uma tecnologia avançadíssima e voltar a vida. Isso só prova que a ciência também delira. A mais nova invenção dos cientistas é a clonagem. Dizem poder fazer outro Geraldo Magela, igualzinho a mim. Quero lhes dizer que nenhum clone até hoje viveu mais que o original; todos morrem prematuramente. Por outro lado, preciso lhes dizer que a ciência ainda não aprendeu (e nunca conseguirá) clonar a alma humana. Quem dá a vida e a sustenta é um só, Jeová!
Por fim, quero lhes dizer que existe um que pode nos conceder vida eterna. Seu nome? Jesus Cristo. O apóstolo Paulo afirmou (Romanos 8.11): se o Espírito daquele que dos mortos ressuscitou a Jesus habita em vós, aquele que dos mortos ressuscitou a Cristo também vivificará o vosso corpo mortal, pelo seu Espírito que em vós habita. Romper a barreira da morte, viver para sempre com Deus na Eternidade não é ilusão, nem lenda, nem promessa vazia. Trata-se da mais importante e festiva promessa contida na bíblia sagrada!
E Vi um novo céu, e uma nova terra. Porque já o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe. E eu, João, vi a santa cidade, a nova Jerusalém, que de Deus descia do céu, adereçada como uma esposa ataviada para o seu marido. E ouvi uma grande voz do céu, que dizia: Eis aqui o tabernáculo de Deus com os homens, pois com eles habitará, e eles serão o seu povo, e o mesmo Deus estará com eles, e será o seu Deus. E Deus limpará de seus olhos toda a lágrima; e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas. E o que estava assentado sobre o trono disse: Eis que faço novas todas as coisas. E disse-me: Escreve; porque estas palavras são verdadeiras e fiéis. E disse-me mais: Está cumprido. Eu sou o Alfa e o Ômega, o princípio e o fim. A quem quer que tiver sede, de graça lhe darei da fonte da água da vida. Quem vencer, herdará todas as coisas; e eu serei seu Deus, e ele será meu filho. Mas, quanto aos tímidos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos fornicadores, e aos feiticeiros, e aos idólatras e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre; o que é a segunda morte. E veio a mim um dos sete anjos que tinham as sete taças cheias das últimas sete pragas, e falou comigo, dizendo: Vem, mostrar-te-ei a esposa, a mulher do Cordeiro. E levou-me em espírito a um grande e alto monte, e mostrou-me a grande cidade, a santa Jerusalém, que de Deus descia do céu. E tinha a glória de Deus; e a sua luz era semelhante a uma pedra preciosíssima, como a pedra de jaspe, como o cristal resplandecente. E tinha um grande e alto muro com doze portas, e nas portas doze anjos, e nomes escritos sobre elas, que são os nomes das doze tribos dos filhos de Israel. Do lado do levante tinha três portas, do lado do norte, três portas, do lado do sul, três portas, do lado do poente, três portas. E o muro da cidade tinha doze fundamentos, e neles os nomes dos doze apóstolos do Cordeiro. E aquele que falava comigo tinha uma cana de ouro, para medir a cidade, e as suas portas, e o seu muro. E a cidade estava situada em quadrado; e o seu comprimento era tanto como a sua largura. E mediu a cidade com a cana até doze mil estádios; e o seu comprimento, largura e altura eram iguais. E mediu o seu muro, de cento e quarenta e quatro côvados, conforme a medida de homem, que é a de um anjo. E a construção do seu muro era de jaspe, e a cidade de ouro puro, semelhante a vidro puro. E os fundamentos do muro da cidade estavam adornados de toda a pedra preciosa. O primeiro fundamento era jaspe; o segundo, safira; o terceiro, calcedônia; o quarto, esmeralda; O quinto, sardônica; o sexto, sárdio; o sétimo, crisólito; o oitavo, berilo; o nono, topázio; o décimo, crisópraso; o undécimo, jacinto; o duodécimo, ametista. E as doze portas eram doze pérolas; cada uma das portas era uma pérola; e a praça da cidade de ouro puro, como vidro transparente. E nela não vi templo, porque o seu templo é o Senhor Deus Todo-Poderoso, e o Cordeiro. E a cidade não necessita de sol nem de lua, para que nela resplandeçam, porque a glória de Deus a tem iluminado, e o Cordeiro é a sua lâmpada. E as nações dos salvos andarão à sua luz; e os reis da terra trarão para ela a sua glória e honra. E as suas portas não se fecharão de dia, porque ali não haverá noite. E a ela trarão a glória e honra das nações. E não entrará nela coisa alguma que contamine, e cometa abominação e mentira; mas só os que estão inscritos no livro da vida do Cordeiro. A VIDA É CURTA MESMO A vida de fato é curta. A qualquer momento a primeira fase da nossa existência terá seu fim. Mas, considero tolo aquele que pensa que a morte põe fim a existência humana. Existe vida depois da morte. Ou vida eterna ou morte eterna, ou viver para sempre no céu ou padecer para toda eternidade no inferno – eis o que nos espera quando dermos o último suspiro. Por isso, peço que você reflita seriamente sobre a decisão de ser crente em Jesus Cristo. Os céus e a terra tomo, hoje, por testemunho contra ti, que tenho proposto a vida e a morte, a benção e a maldição; escolhe, pois, a vida, para que vivas, tu e a tua semente (Deuteronômio 30.19).
Se você gostaria de entregar sua vida a Jesus Cristo, pedindo a Ele que seja teu Salvador e Senhor, faça a seguinte oração (extraída do livro Os Fatos Sobre a Vida Após a Morte da autoria de John Ankerberg e John Weldon) com profundo quebrantamento e humildade: “Senhor Jesus, eu reconheço humildemente que tenho pecado em meus pensamentos, palavras e ações, que sou culpado de fazer o mal deliberadamente, que meus pecados têm me separado da Tua Santa presença e que não tenho esperança de recomendar-me a Ti. Eu creio firmemente que morreste na cruz por meus pecados, carregando-os em Teu próprio corpo e sofrendo em meu lugar a condenação por eles merecida. Já avaliei ponderadamente o custo de Te seguir. Eu me arrependo sinceramente, afastando-me dos meus pecados passados. Desejo entregar-me a Ti como meu Senhor e Mestre. Ajuda-me a não me envergonhar de Ti. Assim, agora eu venho a Ti. Creio que por longo tempo Tu tens estado pacientemente esperando do lado de fora da porta, batendo. Agora abro a porta. Entra, Senhor Jesus, e sê meu Salvador e meu Senhor para sempre. Amém.”
Que o Senhor abençoe você e sua família com o dom da salvação.


Pr Geraldo


Magela Igreja Maranata - Ministério Surubim (PE)


Surubim, 02 de outubro de 2001

Um comentário:

Hugo Otávio disse...

Glória a Deus!
Deus o abençoe!

Receba mensagens desse blog no seu E-mail