Dez conselhos para deixar de ser idiota


O livro de Provérbios chama o que chamamos de idiota de tolo, homem “simples”, gente com alto grau de “estultícia”. Seja de forma culta – néscio – ou de forma bem popular – otário – o idiota continua sendo aquele que só faz besteira, que mete os pés pelas mãos, que toma decisões equivocadas, o bobo da corte.
1. Pense antes de falar. Não fale tudo que pensa. Pense no que vai dizer. Agindo assim, você impede você mesmo de dizer uma asneira.
2. Não tome decisões precipitadas. Analise todas as propostas que lhe oferecem, consulte pessoas que entendem do assunto, ore. Muitas decisões erradas fazem um completo idiota.
3. Desconfie de todas facilidades. De esmola grande, cego desconfia. Aprenda a perguntar porque o crediário é tão barato (talvez seja porque vai sair muito caro), questione porque aquela “lindona” está dando em cima de você (é muita areia pro teu caminhão? Pode ser amor... ao dinheiro!), ligue o sinal amarelo quando você só tiver de dar R$ 10,00 por uma ação que vai te render um milhão e meio de dólares.Sabe aquela manjadíssima? “Me empresta mil que eu 20% de juros no fim do mês”. Empreste os mil e dê adeus ao sono, ao “amigão” e a sua reputação de homem mais sábio da rua.
4. Desvie-se de todo mal. Evite tudo que tem cheiro de marmelada, de “enrolação”, de embromação, de 171, de transgressão. Seja simples como as pombas e prudentes como as serpentes.
5. Afaste-se dos otários. Quem anda com porco farelo come. Me diga com quem andas que te direi em és. Procure formar uma teia de amizade com gente sábia, centrada, equilibrada, inteligente. No mínimo, você será um trouxa mais instruído.
6. Diga não aos apelos da carne. Não é fácil. A carne é nosso maior inimigo. Ela quer porque quer. Faz birra e chantagens de toda magnitude. Tende dizer não a algo que lhe atrai e você saberá do que estou falando. Vencendo as tentações da carne, a gente se torna mais senhor de nossas decisões. Na verdade, é a carne que geralmente nos faz de palhaços. Duvida? Pergunte a Sansão.
7. Confie desconfiando. Todo dia sai um “artista” e um “besta” de casa. Quando se encontram, imagina quem leva a pior... Confie em colegas, amigos, conhecidos até o ponto em que não põe a sua dignidade – e a de sua família – em risco. Seja educado, amigo e parceiro. Mas, não seja avalista de quem não tem crédito nem com a mãe dele.
8. Cuidado com gente “conversador” demais. Principalmente, quando conhece pouco você e já conta toda a vida dele(a) a você. Comece sempre desconfiando de choros, lágrimas, teatralidade demais. Os estelionatários conversam muito para fazer uma cortina de fumaça no verdadeiro propósito: depenar mais um pato.
9. Nunca empreste dinheiro. É melhor dar (pouco!) que perder (tudo!!). Então, quando solicitado e puder, ajude. Mas, nunca empreste quantias vultosas. Dinheiro a gente só empresta a amigos e parentes muito íntimos, que tenham um histórico pessoal de integridade. Já ouvi um tomador de dinheiro emprestado dizer a um colega: “quem empresta é porque não precisa”. O pior é que o enrolador está certo!
10. Aprenda com a idiotice dos outros. Quando um conhecido seu fizer besteira, evite incorrer no mesmo erro. O sábio aprende com seus próprios erros - mas, muito mais, com o erro dos outros. Todo dia tem gente fazendo besteiras, cometendo erros, tomando decisão de anta. Veja o erro deles, examine onde erraram - e seja você o sábio da história: não repita na sua vida o erro que desgraçou a vida dos outros.

Nenhum comentário:

Receba mensagens desse blog no seu E-mail