Imitanto o que é bom


Paulo, escrevendo aos crentes em Corinto, admoestou: "Sede meus imitadores, como também eu de Cristo". Fica claro quem Paulo procurava imitar. Ele não era original, não inventou nada, nem ambicionava redescobrir a Roda do Evangelho. Para ele, era fundamental ser um imitador. Imitador de Cristo. Imitou tanto a Cristo, que podia pedir: me imitem! Eu imito Jesus, por isso, não temam em me imitar, pois estarão imitando a Cristo. Admoesto-vos, portanto, a que sejais meus imitadores. Nunca vi tanta gente imitando tanta gente sem futuro. Imitamos o modo de cantar do cantor A, o modo de pregar do pregador B e até a cara-de pau do profeta C. Imitamos o mundo. Imitamos os judeus. Mas, poucos, muitos poucos, imitam o que vale a pena imitar: a Cristo. Sede, pois, imitadores de Deus, como filhos amados. Imitar Jesus Cristo é mais que tentar reproduzir o modo de falar, de agir, de reagir do Filho de Deus. É buscar os princípios que nortearam a vida do Salvador da Humanidade. Falo de princípios que são em tudo diferente de doutrinas, regras, usos e costumes da época de Jesus. Imitar o que é bom é imitar o modo de viver do Bom Pastor, do Verdadeiro Amigo, do Único Salvador e daquele que é nosso Senhor e Salvador. Não sejamos "ventrílocos" do que não presta - mas imitador do que é bom - e bom mesmo, só Jesus!

Um comentário:

Hugo Otávio disse...

Glória a Deus!
Que possamos ser imitadores de Jesus Cristo e não de outros agentes bíblicos, falhos como nós! Ensina-nos Deus, a sermos teus imitadores e andar como o Senhor andou!

Receba mensagens desse blog no seu E-mail