"Exija de Deus seus direitos!"


O ser humano pode ser bem insolente. Na verdade, o homem sofre de presunção (por isso, depois de grandes vitórias, deveríamos nos recolher em verdadeira humildade e gratidão. Saber ganhar é mais difícil que saber perder). Nós, cristãos, deveríamos viver a vida com profunda gratidão ao Senhor, que nos resgatou do pecado e da condenação, e com sincera misericórdia pelo próximo, que precisa desesperadamente da Graça que nos alcançou, salvou e ab~ençoou. Não é a punição que nos salva, é a Graça que opera pelo amor. No mundo evangélico, portanto, é inconcebível “exigir seus direitos” de Deus. O barro não pode exigir nada do Oleiro. O relógio não tem o que demandar do Relojoeiro. A criatura não tem o requerer do Criador. Eu não quero exigir nada de Deus, porque não tenho direitos diante Dele. Ele usou de misericórdia comigo. Ele me perdoou. Ele me salvou. Ele me ama como nunca fui ou serei amado! O que exigir de quem sou eterno devedor? “Mas, pastor, sou filho de Deus, todo filho tem direitos!” Não se esqueça, somos filhos... adotivos! E ademais, filho não tem direito de exigir de seu pai nada, absolutamente. Até a herança é pós-morte! E, pelo que eu sei, o Senhor é o Único Vivo Eternamente, o EU SOU! Exigir qualquer coisa de Deus cheira a petulância pagã, para não dizer maligna. Deus te deu vida eterna, alegria e paz. Você quer mais? Carro, casa, emprego, sucesso? Você até pode pedir... só não exija nada. Deus não é obrigado a satisfazer os caprichos de ninguém. Muito menos de seus filhos mimados, mal-educados, ingratos e inchados de soberba.

Um comentário:

Hugo Otávio disse...

É verdade!
Muitos fazem barganha com Deus como se ele fosse um indivíduo cheio de direitos por ser rotulado de "cristão". Ser cristão é muito mais do que dizem por aí!
Belo texto!

Receba mensagens desse blog no seu E-mail