Paulo - Do legalismo à fé




"Cuidado com esses homens ruins – eu os chamo cães perigosos – os que dizem que vocês devem circuncidar-se para serem salvos. Porque não é o corte dos nosso corpos que nos torna filhos de Deus; é adorá-lO com os nossos espíritos. Essa é a única “circuncisão” verdadeira. Nós, os cristãos, nos gloriamos naquilo que Cristo Jesus fez por nós e compreendemos que não temos meio de salvar-nos a nós mesmos. Ainda mais, se alguém alguma vez teve motivos para esperar que poderia salvar-se a si mesmo, esse alguém seria eu. Se outros pudessem ser salvos por aquilo que são, logicamente eu poderia! Porque eu passei pela cerimônia de iniciação judaica quando tinha oito dias de idade, tendo nascido num lar de sangue puramente judaico que era uma ramificação da velha família genuína de Benjamim. Portanto, eu era um verdadeiro judeu, se jamais existiu algum! Além do mais, era membro da seita dos fariseus, que exigiam a mais estrita obediência a todas as leis e costumes judaicos. Era sincero? Sim, e tanto que persegui grandemente a igreja; e procurava obedecer minuciosamente até o extremo a cada preceito e regulamento judaico. Entretanto, todas estas coisas que eu antigamente julgava muito valiosas, – agora, lancei-as todas fora, a fim de poder pôr minha confiança e esperança somente em Cristo. Sim, todas as outras coisas perdem o valor quando comparadas com o ganho inestimável de conhecer a Cristo Jesus, meu Senhor. Eu pus de lado tudo o mais, achando que valia menos do que nada, a fim de que possa ter a Cristo, e tornar-me um com ele, não contando mais salvar-me por ser suficientemente bom ou por obedecer às leis de Deus, mas pela confiança em Cristo como meu Salvador; porque a maneira de Deus nos fazer justos diante dEle depende da fé – contando somente com Cristo. Agora eu renunciei a todas as outras coisas – descobri que este era o único meio de realmente conhecer a Cristo e ter experiência do imenso poder que O trouxe de volta à vida, e conhecer o que significa sofrer e morrer com Ele, a fim de que, por mais que isso exija, eu seja um dos que vivem na revigorante novidade de vida daqueles que estão vivos entre os mortos. (...) Porque eu já lhes disse antes muitas vezes, e agora o digo novamente com lágrimas nos olhos: há muitos que andam pela estrada cristã, mas na realidade são inimigos da cruz de Cristo. O futuro deles é a perdição eterna, pois seu deus é o apetite; eles têm orgulho daquilo que deveria envergonhá-los; e tudo o que eles pensam é nesta vida, aqui na terra. Mas a nossa pátria está no céu, com o nosso Salvador, o Senhor Jesus Cristo".

Paulo aos Filipenses, Bíblia Viva.

Nenhum comentário:

Receba mensagens desse blog no seu E-mail