Quando o valente foge



Valente enfrenta tudo! Sou crente, não tenho medo de nada! Encaro o que vier! Nunca fugirei! Ouço muito essas expressões. No contexto de certas situações, creio que elas podem ser válidas. Não devemos temer ameaças, fofocas, palavras de maldição de inimigos ou falsos irmãos. Entretanto, existem situações que o crente minimamente sábio deve fugir. A Palavra de Deus nos admoesta, em determinadas situações, a sair correndo em desabalada carreira. Fugir, gente, pode ser o maior sinal de valentia! Quando fugir? 1. Quando a compulsão por sexo com prostitutas aflorar: "Fugi da prostituição. Todo o pecado que o homem comete é fora do corpo; mas o que se prostitui peca contra o seu próprio corpo". 2. Quando um ídolo se insinuar: "Portanto, meus amados, fugi da idolatria". 3. Quando se perceber escravo da babel religiosa: "Fugi do meio de Babilônia, e livrai cada um a sua alma, e não vos destruais na sua maldade; porque este é o tempo da vingança do Senhor; que lhe dará a sua recompensa". 4. Quando o amor ao dinheiro tomar todo seu tempo: "os que querem ser ricos caem em tentação, e em laço, e em muitas concupiscências loucas e nocivas, que submergem os homens na perdição e ruína.Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se transpassaram a si mesmos com muitas dores". 5. Quando o fogo da mocidade for acesso: "Foge também das paixões da mocidade; e segue a justiça, a fé, o amor, e a paz com os que, com um coração puro, invocam o Senhor".

Nenhum comentário:

Receba mensagens desse blog no seu E-mail