O imperador do mundo está infeliz


No livro “Calígula” de Allan Massie (Ediouro) há um diálogo interessante entre a irmã-amante do imperador com uma testemunha privilegiada daqueles tempos horríveis de se viver. Doido varrido e tão perverso quanto o pior demônio existente no inferno, Calígula foi um monstro em vida. A mulher disse: “Ele está infeliz, muito infeliz. É o imperador do mundo e está infeliz”. A resposta é um achado: “Nenhuma lei diz que o imperador deve ser feliz. Tibério foi muito infeliz”. Excelente. Ser dono do mundo não torna ninguém feliz. Maradona foi o maior jogador de futebol do mundo. Infeliz. Rockefeller foi, durante décadas, o homem mais rico do mundo. Infeliz. Merylin Monroe foi a atriz mais desejada e requisitada do mundo. Infeliz até no rastro. Eu pergunto: sinceramente, você acha que o Papa é feliz? Que Ayrton Senna foi feliz? (veja as fotos dele antes do acidente!). Que Ronaldinho Fenômeno, um homem perdido na madrugada, é feliz? Conquistar, mandar, possuir, ser aclamado ou endeusado não gera felicidade.Gera neurose. Gera as piores formas de solidão. Gera morte. Todo ídolo está morto ou morrendo. De que adianta ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma? Jesus Cristo fugia de toda sorte de aclamação pública. O Reino Dele não era desse mundo. Quando quiseram torna-lo Rei, fugiu. Jesus estava certíssimo. Nenhum imperador deste mundo é feliz. Nenhum.

Um comentário:

Fernanda Colares disse...

Texto bem escrito e verdadeiro. Freqüentemente, temos a idéia de que as "vidas glamourosas" são as mais felizes; que os "conhecidos" do mundo estão "acima do Bem e do Mal", como se não tivessem, como diria Álvaro de Campos, "... irmandade com as coisas...".
Apenas Deus pode nos eximir desta irreal felicidade.

Receba mensagens desse blog no seu E-mail