Culto na chuva


Ontem, domingo, ao chegar da Escola Bíblica Dominical, começou a chover forte. Não tive dúvidas, tirei a roupa, fiquei só de calção e tomei aquele banho de chuva, no quintal da minha casa (chamei Lessy para me acompanhar, mas ela preferiu ficar me olhando com uma expressão que parecia dizer que estava com muita pena de mim). No começo fez muito frio. Comecei a pular e corri para debaixo da bica. Aí, voltei a ser menino! Pulei, corri de um lado para o outro, acompanhando a fila de água que caia das telhas de um pequeno apartamento nos fundos da casa, fiz exercícios físicos variados e desconexos, sorri e gritei de alegria...! Levantei os braços, olhei para cima, a água banhando meus cabelos, meu rosto, escorrendo pelos olhos. Foi quando me veio um pensamento: os anjos devem estar olhando para mim agora, rindo prá valer, pois eu parecia mesmo um idiota, contente por estar pulando na chuva, com 40 anos de idade, casado, pai de adolescentes e cheio de responsabilidades. E mais: Deus estava me vendo também! E eu de braços abertos, feliz como se tivesse no céu, grato a Ele por tudo que tinha recebido de suas benditas mãos (e mais grato ainda pelos livramentos que ele me proporcionara) - a saúde, a família, Lessy, aquela chuva que lavava minha formalidade e me deixava nu (mas sem nenhuma vergonha!) diante do Senhor que faz chover sobre justos e injustos! Por um momento, Deixei as formalidades da vida adulta - cheia de agendas e performances sociais - para ser eu mesmo - apenas uma criança, grata, feliz e molhada - diante do seu Deus, que ama demais até os idiotas que pulam na chuva. Lessy continuou sem entender nada do que estava acontecendo...

Nenhum comentário:

Receba mensagens desse blog no seu E-mail