Sem ressurreição não existe cristianismo



Se Cristo não ressuscitou, é vã a nossa fé, escreveu Paulo. O cristianismo está de pé ou vira apenas religião, dependendo da ressurreição de Jesus Cristo ser um fato ou um mito. Por isso, muitos inimigos do Evangelho vivem à caça de evidencias de que Jesus nunca morreu na cruz ou, se morreu, "sabem" onde estão seus restos mortais. Para mim, a maior “prova” de que Jesus venceu a morte está na reação dos discípulos. Todos fugiram ou se decepcionaram enormemente quando crucificaram o Mestre. Nenhum deles voltaria a pregar Jesus, o Senhor, se algo sobrenatural não houvesse ocorrido. Eles não dariam a vida por um defunto. Se Jesus não tivesse aparecido aos discípulos no caminho de Emaús, eles jamais teriam retornado a Jerusalém: “vimos o Mestre, Ele ressuscitou”. Se Pedro não tivesse conversado com Jesus, jamais teria sido o Apóstolo que foi. Durante 40 dias, Jesus confortou, deu instruções e manteve intimidade com a igreja que nascia. Apareceu para 500 irmãos, de uma só vez! Quinhentas testemunhas! É mais que "demais" para provar qualquer coisa em qualquer tribunal. Os discípulos só se transformaram em apóstolos porque viram, conversaram e foram amados pelo Senhor ressurreto. Quanto a mim, não preciso de provas técnicas do santo sudário ou da última descoberta arqueológica, para crer. Sinceramente, não precisei ver para crer. Não sou um ateu à procura de evidências, sou um crente que deposita a pequena fé que tem unicamente Naquele que por mim morreu e ressuscitou.

Nenhum comentário:

Receba mensagens desse blog no seu E-mail