O caçador de pipas



O romance de estréia de Khaled Hosseini, O caçador de pipas, vendeu quase 10 milhões de exemplares somente nos Estados Unidos. No Brasil, mais de 1 milhão. Um feito singular para um livro que conta a história de dois meninos, Amir e Hassan, no Afeganistão na década de 1970. O livro virou filme em 2008, sob a direção de Sam Mendes, de Beleza Americana. O caçador de pipas está há dois anos como um dos mais vendido nas livrarias brasileiras. A obra de Khaled Hosseini é sucesso de público e crítica. Esse é o aspecto técnico do livro. Mas, recomendo sua leitura como obra saborosa de se ler (li as 365 páginas em 1 dia), que trata de temas como amizade, honra, sentimento de culpa e redenção sob uma ótica inédita e com personagens tão humanos que quase podemos senti-los dentro da gente. A cada dia que passo me rendo ao fato que a humanidade, principalmente na seara religiosa, mas em todos os aspectos da vida, está perdendo sua "humanidade". Existe gente, mas não existe “a gente”. Mesmo vivendo no casulo, a gente não consegue fugir dos “fantasmas” do passado, que são piores que muitos demônios reais. Enfrente-os agora, senão eles arruinarão sua vida para sempre. Só um detalhe: antes de assistir o filme, leia o livro. É uma viagem fantástica sobre culpa, restituição e o prazer de uma leitura edificante .

Nenhum comentário:

Receba mensagens desse blog no seu E-mail