Quebrando o 6o. Mandamento com a língua





Fofoca é boato, mexerico, rumor, "conversa" que pode ser totalmente mentira ou parcialmente verdade. A Bíblia bate forte nos fofoqueiros, chegando a afirmar que Deus abomina e detesta quem "faz contenda entre irmãos". O nosso ordenamento jurídico entende esses "pecados da língua" como passível de condenação. Recentemente, um padre, Júlio Lancelotti, foi envolvido num escândalo. A mídia caiu matando, sem pena. A suspeita era que o padre teve um "romance" com um cara que agora o chantageava. A polícia investigou e constatou que o padre era inocente de todas as ilações. O estrago já estava feito. A reputação do padre foi à lona. Inocente, mas marcado para sempre. Com Jesus foi pior. Falaram que "expulsava demônios pelo poder de Belzebu", príncipe dos demônios! Disseminaram que Ele era "amigo de publicano e pecador", uma espécie de comparsa de marginais. Outros espalharam que Jesus era "comilão e beberrão de vinho". Jesus, um viciado. Recentemente, um autor ganhou muito dinheiro com uma fofoca espetacular sobre Jesus. A fofoca rodou o mundo e virou até filme. Dan Brown escreveu o Código da Vinci. Nele, sugere que Jesus teve um caso sexual com Maria Madalena, gerando até uma filha! Meio mundo acreditou em Dan Brown, que ficou famoso e rico. Os fofoqueiros prosperam assim: denigrem as pessoas e tem gente que até paga para ouvir e reproduzir suas mentiras. Não matarás, diz o mandamento. O fofoqueiro assassina gente todo dia com a língua.

Nenhum comentário:

Receba mensagens desse blog no seu E-mail