Sensibilidade



Jesus Cristo começa o Sermão do Monte com as bem-aventuranças. A segunda bem-aventurança é felizes os que choram, porque serão consolados. Feliz quem chora. Não faz sentido nenhum. Como alguém que está chorando pode ser feliz? Pior: como quem precisa de consolo pode ser bem-aventurado? Não me contive e parti para entender o que o meu Salvador queria dizer com "feliz quem pranteia". Meditando na Palavra e executando uma pesquisa simples nos originais, dei glória a Deus ao descobrir a verdade revelada no texto. Feliz quem chora significa basicamente "feliz quem é sensível". Isso porque vivemos num mundo de gente casca-grossa, impiedosa, inclemente, antipática. Jesus informa que quem tem sensibilidade, quem é humano, quem é simpático à dor do outro, afetivo e misericordioso consigo e com o próximo, é feliz. De fato, a gente vê muita lágrima de crocodilo (chora enquanto devora), muita ostantação de humildade, mas nossa geração é rasa de sentimentos genuinamente afetuosos. Feliz quem não julga e condena o próximo, quem perdoa pela milésima vez, quem não parte a cana quebrada nem apaga o pavio que fumega. Feliz quem sente o amor de Deus mesmo sentindo as piores dores. Infeliz dos que não sentem mais nada, dos que nada mais o incomoda, cujo coração virou uma rocha de cinismo, falsidade e impiedade. Infeliz, enfim, quem não abre a boca e berra feito criança.

Um comentário:

Anônimo disse...

muito bem pensado, concordo plenamente.

Receba mensagens desse blog no seu E-mail