Antes e depois do pentecostes



A reflexão de hoje será baseada em todo o capítulo 2 de Atos. Sei que uma parcela da Igreja de Jesus Cristo não crê no Batismo com o Espírito Santo. Por várias razões. Acho que um dos principais motivos da aversão ao pentecostalismo é o testemunho do crente carnal feito um açougue, mas que fala em línguas estranhas, atraindo a atenção para si através de sua performance "espiritual". Respeito muito as opiniões contrárias. Sei conviver bem com quem pensa teologicamente diferente de mim, desde que não queira me "catequizar" ou me tratar como um débil mental. Quero, entretanto, descrever o antes e o depois do pentecostes na vida dos discípulos: Antes do pentecostes a Igreja estava em declínio numérico (de cerca de 500 irmãos, somente 120 continuaram no cenáculo aguardando o cumprimento da promessa do derramamento do Espirito Santo), depois do pentecostes somente numa pregação 3 mil almas se converteram! Antes a Igreja era invisível para a sociedade, depois a Igreja passou a ser caluniada, escarnecida e admirada - mas nunca mais a sociedade foi indiferente a ela! Antes a Igreja tinha medo, depois a Igreja experimentou ousadia (Pedro, que negou Jesus três vezes, agora prega o primeiro sermão pentecostal). Antes a Igreja esperava, depois a Igreja avançava! (Deixou a segurança das quatro pareces e das portas fechadas e ganhou as ruas, praças, anfiteatros, casas!) Antes a Igreja já tinha o Espirito Santo (Jesus soprou sobre eles quando ressuscitou: recebei o Espírito), depois o Espírito possuiu eles! De maneira que houve, depois do pentescostes, somente depois do pentecostes, persevança, unidade, milagres, temor e a poderosa mão de Deus era com eles!

Um comentário:

Kleber Gil disse...

Muito bom é isso mesmo O sopro de Jesus

Receba mensagens desse blog no seu E-mail