Grupos dentro da igreja local


Desde quando comecei a escrever este blog que recebo informações sobre igrejas e muitas perguntas sobre conflitos humanos dentro das igrejas. Creio que nós, seres humanos, não conseguimos viver isolados da mesma forma que não sabemos viver bem juntos. Um dos problemas mais antigos é a questão dos grupos dentro das igrejas. Às vezes, começa como grupos de interesse genuíno e desejável, outros começa mesmo como grupos de interesses escusos. Há dezenas de grupos dentro da Igreja. Grupo dos jovens, grupo do pessoal do louvor, grupo dos líderes, grupo dos quase-desviados, grupo dos canalhas, grupo das mulheres frustradas no casamento, grupos dos "santos, santos, santos", grupo dos que querem poder, grupo dos que querem tomar o poder, grupo dos ricos, grupo dos pobres, grupo dos que oram no monte, grupo dos que não gostam de grupos, grupo dos que estão frustrados porque não tem um grupo, grupo dos intelectuais, grupo dos que se acham mais espirituais que os anjos, grupos dos críticos, grupo dos que amam a Igreja, grupo dos que amam a si mesmos, grupos dos falsos, grupo dos que nada fazem, grupo dos que dão trabalho ao pastor. Existem grupos que nascem até da rivalidade. Pense num grupo qualquer e pode ter certeza que ele estará representado numa igreja local. Grupos e grupelhos existem desde o Antigo Testamento (o problema é que a gente conhece pouco de Bíblia). Cada uma das doze tribos de Israel eram... grupos. A tribo de Benjamin quase foi totalmente exterminada pelos outro onze grupos, todos cheios de santidade e razão! Os irmãos de José se juntaram em grupo contra o grupo dele e dos pais dele! Moisés teve que enfrentar Coré, Datã e Abirão, que haviam formado um grupo para confrontar a autoridade do profeta. No Novo Testamento piora. Os discípulos parecem um grupo unido, não é? Nunca foi. Havia grupos dentro do grupo. Pedro, Tiago e João eram do grupo mais chegado ao Mestre. Uns eram radicais, outros mais dados ao diálogo. Uns queriam o poder político, outros queriam também. Quando Paulo surge, surge justamente para confrontar o grupo dos judaizantes, que queriam transformar a Igreja numa sucursal do Judaísmo. Os grupos vão acabar num dia em que os ricos da Igreja deixarem de ser gananciosos; no dia em que os mais espirituais (ou emocionais) deixarem de se jactanciar de sua horinha devocional; no dia em que os que pecam deixarem de se fazer de vítima, assumindo seu pecado como fez o Filho Pródigo; no dia em que os espirituais da Igreja sejam espirituais também no trato com seus empregados, professores, pastores, familiares; no dia em que o coração da gente não arder na fogueira das vaidades. Nesse dia acabam os grupelhos. E este Grande Dia está chegando, em Nome de Jesus. Enquanto esse grandioso dia não chega, apelo ao seu coração: saia VOCÊ do seu grupinho. Você não percebeu ainda, mas esse grupinho ainda vai asfixiar sua fé, sua seu caráter, sua vida cristã.

Nenhum comentário:

Receba mensagens desse blog no seu E-mail