Confesso minha incredulidade


Eu confesso minha incredulidade. Por isso, afirmo:
Não creio na santidade dos fariseus.
Não creio que legalista entra no céu.
Não creio em espiritualidade a jato.
Não creio nas línguas estranhas de quem nunca nasceu de novo.
Não creio no amor de quem prega por dinheiro.
Não creio que Maria é a Mãe de Deus.
Não creio que o inferno não existe.
Não creio que o inferno é a sepultura.
Não creio que crente fique endemoninhado.
Não creio que o mercado gospel agrade ao Senhor.
Não creio no circo que alguns pregadores pagos promovem.
Não creio na integridade de quem busca o poder de Deus. Não deveríamos todos buscar Ele?
Não creio nas "graças" promovidas por imagens de escultura, símbolos religiosos, ícones eclesiásticos.
Não creio que listas de proibição produzam santidade.
Não creio em Papai Noel.
Nem creio nos pressupostos da Teologia da Prosperidade.
Não creio que dois erros promovam um acerto.

Nenhum comentário:

Receba mensagens desse blog no seu E-mail