Todo cuidado é pouco com gente santa demais


Não se brinca com gente metida a santa. Todo cuidado é pouco com quem se apresenta como íntimo demais de Deus, superior em espiritualidade ao resto da humanidade e cheio "dos dons espirituais". Quanto mais afetada é a espiritualidade de alguém mais cedo você deve fugir de seu raio de ação. Tente escapar dele. Os santos demais são os piores tipos de pecadores. Não se brinca com fariseu. Quanto mais santo uma pessoa se apresenta, talvez mais tenha a esconder ou ainda vai fazer muita gente sofrer. Ou fez um grande mal ou fará. Conheci uma senhora que testemunhava sempre que, depois de se converter, fisera um voto de "só usar saia". Enfatizava isso como que se achando superior às demais mulheres do universo. Descobri depois que ela teve inúmeros casos extraconjugais - mesmo depois de sua conversão. Com "santo" não se brinca! O fariseu que foi orar no templo era santo demais até para Deus. O Senhor o lançou fora diante de Si, fitando seus olhos no que, entrando no templo, batia no peito: "Pai, tem misericórdia de mim, que sou pecador". Tome muito cuidado com quem em cada duas frases fala um versículo da Bíblia, vive exclamando "misericórdia", usa objetos sagrados bem visíveis para mostrar o quanto é consagrada ou se veste mal, mesmo podendo se vestir bem. Muitas doenças psicológicas travegam bem nos ambientes religiosos. Na verdade, os piores loucos são os que se acham portadores de um mandato divino. O verdadeiro santo age diferente dos falsos santos, santos, santos. O verdadeiro cristão é humilde, humano, gente boa de Deus na terra. É sal sem que vire cocadinha de sal e luz do mundo sem tocar trombeta. O verdadeiramente santo nem parece, mas é. O santo do pau ôco parece, mas nunca foi.

Um comentário:

Hugo Otávio disse...

É verdade, pastor!
Muitas vezes a santidade nos é passada pelas vestes e pelas palavras ou "jargões gospeis" proferidos!
A vida cristã ultrapassa os limites do ser humano exterior para adentrar no mais profundo do ser!
E somente Cristo, através do Seu amor e graça que pode transformar um indivíduo! Não atribui-se tão somente ao pastor essa tarefa, mas o legalismo e o medo aflora e amedronta o rebanho o qual, muitas vezes, segue os usos e costumes por temor ao líder.
Deus muda a história, creio nisso!
Precisamos amar pessoas que, infelizmente, vivem sob esse pesado julgo.
Porém, é preciso acordarmos e vivermos pela graça!
Paz!

Receba mensagens desse blog no seu E-mail