Eu preciso de uma segunda oportunidade


Ontem, percebi que não participei das comemorações dos 45 anos do A.A de minha cidade. Fui convidado e, devido aos muitos compromissos da semana, pasei batido. Quando me dei conta do lapso, fiquei muito aborrecido. Eu sou um sujeito muito esquecido. Sou capaz de esquecer de um rosto dentro de dois minutos. Deveria ter anotado, deveria ter afixado o convite na geladeira, deveria ter agendado no computador, deveria... Mas, evidente, não o fiz. Estou me sentindo como um médico que perdeu seu primeiro paciente. Estou irritado como um artilheiro que perdeu um pênalti. Tô chateado. Eu preciso de uma segunda oportunidade. Vou até o A.A. pedir uma nova chance, não sem antes pedir perdão pela minha negligência. Todos nós precisamos de uma segunda chance, sempre. As segundas chances são preciosas oportunidades de consertar rotas, situações, vidas. Jesus deu uma segunda chance a mulher pega em adúltério. Davi recebeu uma segunda chance ao ser perdoado pelo Senhor por ter dormido com a mulher de Urias. Pedro recebeu uma segunda chance quando Jesus perguntou a ele: Tu me amas, Pedro? O filho pródigo recebeu uma valiossíssima segunda chance ao ser abraçado pelo Papai. Talvez o A.A. não permita que eu me refaça. Eu não os censuraria. Mas, se eles me deram uma segunda chance, prometo que vou dar o meu melhor a eles. Uma segunda oportunidade não se nega nem a um criminoso. Cadeia nada mais é que uma nova oportunidade a quem delinguiu contra sociedade.

Nenhum comentário:

Receba mensagens desse blog no seu E-mail