A partida


O ganhador do Oscar de melhor filme estrangeiro de 2009 foi "A Partida". Tratando de um tema indigesto, a preparação de cadáveres para o sepultamento, o diretor Tojiro Takita construiu um belíssimo filme sobre a vida. A história começa em Tóquio, "onde Daigo integra uma orquestra sinfônica em dificuldade, que acaba por ser dissolvida. Sem ter como pagar as dívidas, o músico vende o violoncelo e, tendo a concordância da mulher Mika (Riyoko Hirosue), decide retornar à sua cidade para morar na própria casa, vazia desde que sua mãe morrera, há algum tempo, sem que ele pudesse estar presente aos funerais. A grande surpresa de Daigo, entretanto, acontece, quando ele descobre que o trabalho que lhe é oferecido, com pagamento de compensador salário antecipado, é o de assistente de um profissional, Shoei Sasaki (Tsutomu Yamasaki), preparador de cadáveres para o ritual familiar que antecede à cremação". Cada detalhe do filme é impressiona pela profundidade da mensagem. Nao falta sensibilidade, ternura, num filme que impacta tnato pelo que expõe quanto pelo que oculta. De fato, todo fim é uma oportunidade para recomeçar. A Partida vai deixar você chocado. E é bom que choque mesmo.

Nenhum comentário:

Receba mensagens desse blog no seu E-mail