Doze conselhos aos pais

1. Diga logo a verdade a seus filhos. Com amor, mas com a franqueza de quem não tem medo de revelar suas próprias fraquezas, temores, pecados.
2. Se você não quer que seus filhos façam, não faça. Filhos percebem a hipocrisia a quilômetros de distância. 3. Quando você pecar, confesse publicamente. Seja transparente. Seus filhos entenderão suas fraquezas, só não suportarão se você for um cara-de-pau.
4. Procure ter intimidade com seus filhos. Mas, pelo amor de Deus, não confunda intimidade com libertinagem. 5. Entesoure para eles. Deixe algum tipo de herança para eles, quando morrer. 6. Nunca acredite cegamente nos seus filhos. Talvez você não queira admitir, mas os filhos mentem paca para os pais. E, se descobrir que eles são babacas...
7. Elogie seus filhos. Onde ele acertar, um traço positivo de seu caráter, uma atitude genuinamente cristã são atitudes que merecem um elogio. Atenção: não estou falando de adulação.
8. Repreenda seus filhos. Quando ele ou ela passar dos limites, pecar, deixar a carne aflorar, chame eles e converse francamente. Deixe bem claro o alto preço do pecado na vida de qualquer ser humano.
9. Discipline seus filhos. Se a repreensão não surtir efeito, disciplina neles. Faça você antes que o mundo faça. 10. Ame seus filhos. Aconteça o que acontecer, ame-os. Eles nunca deixarão de ser seus! Não tenha vergonha por que seus filhos não são como os filhos dos outros. Os outros que vão catar coquinho. Nesse caso, o que me interessa são os meus!
11. Ore pelos seus filhos. Interceda por eles. Peça ao Senhor que os guarde por onde andarem. 12. Abençoe seus filhos. Diga com alegria: eu te abençôo, em nome de Jesus. Deus te abonçoe, Adriano! Deus te abençoe, Renata! Diga que eles são amados, queridos e abençoados. Em nome de Jesus.

Nenhum comentário:

Receba mensagens desse blog no seu E-mail