"Será que eu preciso estar triste para Deus ficar feliz?"


“Será que eu preciso estar triste para Deus ficar feliz comigo?” Quando O Cantor Lázaro fez esta pergunta a cinco mil pessoas na Marcha para Jesus, versão 2008, em Surubim, eu me surpreendi. A frase expõe a teologia dele? Então, ele é crente de verdade! A teologia da causa e efeito, da moral da religião, da barganha com Deus, dos méritos humanos, da auto justificação jamais elaborariam tal expressão. Nenhum fariseu consegue entender a Graça. Espero que Lázaro jamais se afaste da Graça do Senhor Jesus Cristo. Eu poderia estender o conceito: Será que eu preciso ficar feio para Deus me achar bonito? Será que eu preciso ser desagradável com as pessoas para Deus se agradar de mim? Será que eu preciso ser “moralista” para Deus me achar santo? Será que eu preciso viver na prova para Deus me achar consagrado? Será que eu preciso exibir “meus” dons para Deus confirmar minha chamada? Nós, verdadeiros filhos de Deus (permita-me incluir aqui, sim?) precisamos viver o Evangelho de Jesus Cristo, não os dogmas-da-igreja-rigorosa-do-chicote-eterno. Quantos crentes “enfeiados” pela denominação, quantos crentes psicologicamente adoecidos pela religião, quantos crentes alienados do Evangelho pelo fanatismo? Será que eu preciso viver chorando para Deus se alegrar comigo? Não confunda “sadomasoquismo” com Evangelho. O prazer de Deus não é ver o horror se desenhando em nossos rostos. Ele não é o diabo.

Um comentário:

Allyne Evellyn disse...

Jesus veio para que tenhamos vida, e vida em abundância.
Não significa contudo ter uma vida leviana e uma moralidade hedonista mas sim mater-se equilibrado desfrutando de todas as bençãos que o Pai nos proporcina.
Quanta gente doente por não entender o verdadeiro evangelho, quanta dor, quanto sofrimento poderia ser evitado se entendessem a graça.

Receba mensagens desse blog no seu E-mail