E sobre a morte


Parece que foi Wood Allen quem disse: “quando vocês me virem num caixão, pode ter certeza que ali está um homem contrariado”. Todos queremos ir para o céu, mas, convenhamos, não temos um pingo de pressa. Até o suicida queria viver. Infelizmente, a morte se apresentava como única opção para o fim do sofrimento. Não era que não queria viver, era que a vida se apresentava ainda pior que morrer. A morte é totalmente anti-natural. Deus criou o homem para viver eternamente, por isso o fim da vida está no topo da lista de nossos mais horrendos pesadelos – notadamente a morte de quem a gente ama. Para a morte física não há solução, somente aceitação e adiamento. Para a morte espiritual a solução é a fé em Jesus Cristo, Aquele que venceu a morte, o Ressuscitado e ressuscitador da Galiléia. Para a morte eterna, Jesus disse: “Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu filho unigênito para que todo aquele que Nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna”. Não vivo assombrado com a morte, pois sei que o meu Salvador tirou o “ferrão” dela. Ele me assusta, mas não me desestabiliza. Não tenho pressa de morrer, mas não tenho medo dela. Jesus triunfou sobre a morte quando a pedra que guarnecia o sepulcro rolou.

Nenhum comentário:

Receba mensagens desse blog no seu E-mail