A necessidade da unção


A gente pode fazer as “coisas de Deus" na energia da carne ou na unção do Espírito. Unção, usualmente falando, se confunde com revestimento de poder para alguma função ou atividade, bem como um chamado para desempenhar um papel específico no Corpo de Cristo. João diz que todos os crentes em Cristo Jesus tem a “unção do Santo”. É certo que Jesus Cristo é o Ungido do Senhor (At 4.26): Jesus (Salvador) Cristo (Ungido). Unção é derramar sobre alguém algo especial, podendo até ser literal, como no texto a seguir: Maria era aquela que tinha ungido o Senhor com ungüento, e lhe tinha enxugado os pés com os seus cabelos, cujo irmão Lázaro estava enfermo. Finalmente, a unção é fundamental para despedaçar grilhões espirituais, conforme declara Isaias: E acontecerá, naquele dia, que a sua carga será tirada do teu ombro, e o seu jugo do teu pescoço; e o jugo será despedaçado por causa da unção. A unção torna homens e mulheres capazes de realizar grandes feitos, profetizar, pregar, cantar, evangelizar e amar de forma sobrenaturall. É melhor uma frase “ungida” que duas horas de pregação na base do intelecto; é melhor adorar a Deus com unção que cantar hinos somente com técnica primorosa; é melhor uma palavra realmente profética que os “assim diz o Senhor” de um profeta cheio de presunção. Sem unção há reunião, mas não existe culto. Sem unção pode haver, num culto, emoção, arrepio, grito e queda, mas não haverá misericórdia, pacificação, bondade, nem conversão. A unção aprimora a gente e quem está ao redor da gente. Sem unção o amor é artificial, o sorriso é plastificado e a ‘Paz do Senhor” é falsa como uma nota de 7 reais. Nada substitui a unção.

Nenhum comentário:

Receba mensagens desse blog no seu E-mail