Um crente cheio do Espírito


"Não vos embriagueis com vinho, em que há contenda, mas enchei-vos do Espírito; Falando entre vós em salmos, e hinos, e cânticos espirituais; cantando e salmodiando ao Senhor no vosso coração; Dando sempre graças por tudo a nosso Deus e Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo; Sujeitando-vos uns aos outros no temor de Deus". (Ef 5:18-21)
Para a maioria dos pentecostais, ser cheio do Espírito é pular, gritar, falar em línguas, cair, rolar, dar glória a Deus e aleluias - tudo num culto dentro do Templo ou numa reunião com um pregador internacional "canela-de-fogo". Ninguém pode subestimar o aspecto emocional num culto a Deus. É lamentável como as pessoas choram vendo seu cantor predileto cantar, mas não se emociona num momento de adoração ao Senhor. Adorador que não se emociona precisa examinar seus interesses espirituais. Algo muito grave pode estar acontecendo. Entretanto, um crente cheio do Espírito é conhecido por outros conteúdos : 1) pela sua docilidade: não há contenda. 2) pela sua espiritualidade: falando entre vós em salmos, hinos e cânticos espirituais. 3) pela sua gratidão: dando sempre graças por tudo a nosso Deus e Pai. 4) pelo sua humildade: sujeitando-vos uns aos outros. E 5) pela seu zelo por Deus: no temor do Senhor. Todo o rebulício num culto pentecostal pode ser válido, mas um crente cheio do Espírito vai muito além disso.

Nenhum comentário:

Receba mensagens desse blog no seu E-mail