Liberto da Matrix do Natal


Esqueça a pieguice do natal tradicinal. Não endeuse papai noel nem árvore de natal. Não ligue para panetone, obrigação de dar e receber presente, as músicas da Simone. Saia da Matrix religiosa, deixe de ser Mané. Tudo isso é cosmético. Tudo isso desvia a atenção do verdadeiro sentido do Natal. A visão natalina de Isaías, que viveu 750 anos antes de Jesus nascer, era bem mais profunda: Um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz. O apóstolo João, no começo do Evangelho que leva seu nome, assegura que Jesus veio para o que era seu, e os seus não o receberam. Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome; os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus. E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade. O único significado do Natal que realmente interessa é: Deus Filho se fez carne para pagar a Deus Pai o preço de nossa Eterna Redenção.

Nenhum comentário:

Receba mensagens desse blog no seu E-mail