Você não é um inseto


É realmente muito perigoso quando a pregação do Evangelho e da Palavra vira autoajuda rasteira e banal. Essa talvez seja a crítica mais certeira contra os pregadores da Teologia da Prosperidade. Infelizmente, muitos pastores resvalam para o humanismo puro e simples. O texto que pretendo compartilhar com vocês é baseado no episódio em que 40 espias vão examinar a Terra Prometida para trazer um relatório ao povo hebreu. Após 40 dias, os 12 espias retornam com a informação de que a Terra é extraordinária. Mas, com um “mas”. Porém, alegam 10 deles, a terra está infestada de gigantes, que é quase impossível vencer as cidades fortificadas, que é melhor dar meia-volta, que eles eram como insetos aos olhos dos gigantes e assim se viam: como gafanhotos. Somos uma praga! Josué e Calebe discordam deles. Não, de forma alguma, refutaram, nós não somos uma praga! Deus é conosco, vamos derrota-los! Avante! Claro que os pessimistas venceram a guerra da propaganda. Deus teve que intervir para que Josué e Calebe não fossem trucidados. A questão que me importa é: você não é um inseto. Você é um filho de Deus. Como é a visão de um gafanhoto? Superestima seus inimigos. Subestima o poder de Deus. Subestima a autoridade inerente aos filhos de Deus. Atrai maldições por causa de suas palavras pessimistas. Espanta as bênçãos que Deus pretende derramar sobre sua vida. Vê sempre o pior do melhor. Tem uma mente crítica contra, exacerbadamente doentia. Portanto, eu imploro: não creia que você é um inseto. Em nada os filhos de Deus se parecem com uma praga.

Nenhum comentário:

Receba mensagens desse blog no seu E-mail