O poder da miséria


Nada é mais humilhante que a miséria. Não me refiro à miséria dos filmes ou das artes - plastificada, montada, encenada, pintada. Estou falando da miséria que a gente enxerga no próximo, palpável, aquela que é a mais horrorosa porque é a real. Um dia de fome é pior que um filme de terror. Uma doença sem cuidados médicos imediatos diminui a todos nós. Uma escola pública que não ensina nada gera multidões de analfabetos com canudos que – todos sabem – vão trabalhar como escravos e receber salários de fome. A miséria tem um poder fenomenal. A miséria tem o poder de clonar mais miseráveis. Filho de pais miseráveis até podem suplantar seus genitores em mediocridade. A miséria tem o poder de enriquecer muitos políticos e muitos religiosos. Gente que vira refém por causa de programas paternalistas, elegendo e reelegendo canalhas que nunca fizeram nada para combater a miséria real do povo. Ou, pior, gente que, ouvindo promessas de riqueza fácil, dá o que não tem aos falsificadores da Palavra de Deus, na intenção de ascender socialmente - uma promessa repetida a exaustão por líderes espertos. A miséria tem o poder de levantar os verdadeiros profetas de Deus. Não dá para ficar calado vendo as multidões sendo arrastadas para a idolatria, o sub-emprego, a cegueira política, a fome - inocentes úteis nas mãos do diabo e dos filhos do diabo. Se há um poder mais poderoso que a miséria é o poder a esperança. Minha oração é: Senhor Jesus, nos livra da miséria. Principalmente da miséria de gostar de ser miserável.

Nenhum comentário:

Receba mensagens desse blog no seu E-mail