Crente que não se manca


A expressão “não se manca” significa não se enxerga, não se conhece, pensa que é quando nunca foi - nem nunca será. Outra expressão que significa a mesma coisa é “não se toca”. “Esse candidato não se manca” (significa que ele nunca vai ser eleito, mas se candidatou). “Teu marido não se toca” (significa que ele é um idiota que faz papel de trouxa pensando que é um sábio tibetano). A presunção está por trás de quem não se toca. O ego inflado é a causa de muita gente passar pelo ridículo de ser mais um que “não se toca”. Nada é mais ridículo que um idiota agindo como se fosse um gênio, sendo na verdade um asno. Como a igreja imita o mundo, tem muito crente “que não se toca”. Meu Deus, como tem cristão que “não se manca”. Tem crente pensando que é Marco Feliciano. Tem crente pensando que é cantor e compositor gospel. Tem crente pensando que é o Espírito Santo! Tem crente pensando que é Deus! Tem até crente pensando que é... crente! Irmãos presunçosos, orgulhosos e até sorberbamente humildes, que precisam tomar simancol, que transpiram falsa erudição, que dão conselhos clichês, que se arvoram guardiões da sã doutrina ou que pensam que descobriram a roda podem ser encontrados com facilidade em todas as igrejas cristãs de hoje. Esse tipo é entediante. Precisam tomar simancol. Paulo afirmou que a gente não deve saber além do que convém saber, pois a sabedoria humana pode ser a sabedoria vindo do diabo! Sinceramente, pior que não saber é saber errado. Quem não sabe pode querer aprender – e pode estar predisposto para tanto. Quem sabe errado, ensina errado e acaba pagando micos homéricos. De novo e de novo e de novo... Vendo-se sábio, revela-se néscio.

Nenhum comentário:

Receba mensagens desse blog no seu E-mail