Antes de pedir o divórcio...


Antes de pedir o divórcio...
... pense muito bem. Você pode se arrepender para o resto da vida. ... veja se o erro do fracasso do relacionamento não está em você mesmo. Se for assim, não existe mulher (ou homem) no mundo que faça você feliz.
... tente resgatar o romantismo de seu relacionamento. Qualquer um pode voltar a amar quem um dia foi bom demais amar. ... peça ajuda. Às vezes, uma boa conversa com alguém entenda vocês dois, pode esclarecer posições, aliviar tensões, fazer-nos enxergar soluções simples – mas efetivas para o insucesso do relacionamento.
... veja se o que sente pela outra (ou pelo outro) não é somente paixão. Amor idealizado vira paixão. Cuidado para não se apaixonar pela Capa da Playboy. A capa é somente isso mesmo, capa! Todo relacionamento tem que viver a realidade de que todos somos pecados e falhos. Mulher jovem e bonita (ou homem sarado e lindo) pode até mais insuportável que seu atual cônjuge. Ao invés de um céu, você pode estar mergulhando num inferno mais quente que o anterior.
... ore. Francamente, nada melhor que pedir orientação ao Senhor e deixar Deus ser Deus na sua vida. Para casar, você foi diante do Senhor. Prometeu fidelidade, amor e respeito diante Dele. Nada mais prazeroso que abrir o coração para o Senhor, falar de suas expectativas, de seu falido relacionamento, de seus temores e pedir que socorro ao Senhor. Peça e espere Nele. Não tome decisão nenhuma sem consultar ao Senhor e esperar o agir Dele... não o que “quer” o seu coração.
... converse com sua parceira (ou parceiro). Uma conversar franca, aberta, sem acusações, chantagens, gritos, acusações, indiretas, armas em punho. Falem sobre como se conheceram, tentem achar o momento em que tudo começou a dar errado, sem buscar o culpado, sem querer vencer. O sentimento deve ser de quebrantamento, não de beligerância.
... pense nos filhos. Claro que ninguém hoje fica casado por causa de filhos. Mas, eles não são objetos que compraram depois de casados. São pessoinhas que você pôs o mundo, tem sentimentos e devem ser amados e considerados. Converse com eles, sem demonizar seu cônjuge, mas em busca do bem daqueles que são foram resultados do amor que um dia nutriram um pelo outro.
... analise os custos. Divórcio não sai barato. Não existe divórcio “de graça”. Veja os custo financeiro de manter “outro relacionamento”, analise o custo “emocional”, pense muito no “custo espiritual”. Poucos se divorciam e prosperam. A maioria entra direto numa crise financeira, camuflada pela “liberdade” do fim da relação.

Um comentário:

Anônimo disse...

Vim aqui procurando uma ajuda de como pedir de uma forma saudável o divórcio e não achei. Que pena.

Receba mensagens desse blog no seu E-mail