Orando errado



Muitas das práticas de oração de hoje não é nem nunca foi devoção sadia. Não se vê na Bíblia ninguém comercializando com Deus, enquanto ora: Senhor, deposito dez por cento e quero um fogão novo. Ou: Senhor, já tenho dado muito, mas o Senhor não fez nada por mim até agora. Apressa-te, por favor. Também não vemos cansativas repetições: Deus, tem misericórdia de mim... Deus, tenha misericórdia de mim... Deus, Tenha misericórdia de mim... Deus, tenha misericórdia de mim... Esse "deus" parece mais um ídolo e quem "ora" parece estar mais cumprindo um castigo. A oração de alguns parece ter o objetivo de receber elogios dos ouvintes. Jeová, tens visto o meu amor por ti, o meu sacrifício, como visitei no Hospital aquele jovem e na Cadeia aquele "desviado". Tu me vês nas madrugadas, sempre intercedendo pela Igreja?! As performances de outro é uma tentativa de impressionar Deus. Senhor, tenho te dado mais que o dízímo, tenho te dado a minha vida! Sou todo teu, Senhor! Usa-me para grandes feitos! Já alguns fazem orações da perversidade. Deus, vinga-te de mim, arruína quem me fez mal, quebra a perna dele, enche a cabeça dela de piolhos! A oração é uma conversa amorosa com o Pai de amor. Diálogo mesmo. Sem firulas, fórmulas complicadas, teatralidade, exibicionismo, megalomania. Com um coração terno e grato e cheio de fé, você pode experimentar intimidade com o Teu Pai - que jamais impressiona ou muda Deus, mas transforma nossas vidas para sempre.

Nenhum comentário:

Receba mensagens desse blog no seu E-mail