Jesus nunca julgou pela aparência



Se um dia eu fosse pregar sobre "coisas que Jesus Cristo nunca fez e a Igreja sempre faz", começaria com o tema aparência. Jesus Cristo nunca julgou ninguém pela aparência. Ele descia a ripa na hipocria de "parecer" sem "ser". Os fariseus, por exemplo, pareciam espirituais. Mas, para Jesus, era como sepulcro pintado. Bonitinho por fora, mas podre por dentro. O Senhor nunca julgava pela casca, mas sempre pesava o conteúdo. Hoje, vemos muitos juízes onde só deveria haver irmãos. Se passa baton e usa brinco, é Jezabel. Se pratica esporte, é "carnal". As pessoas viam Zaqueu como um safado. Jesus viu um homem carente de salvação. As vizinhas viam a samaritana como uma vadia. Jesus viu um coração carente de verdadeiro amor. Sansão viu em Dalila uma mulher confiável. Deus via uma cascavel. A embalagem engana. Jessé - e até o profeta Samuel! - julgou que Davi, seu "filho menor" era menor em todos os aspectos. Para Deus, Davi já era rei. Afirmo que o princípio bíblico de comportamento é a modéstia. Ser elegante e vestir-se bem não é pecado. O que a Palavra estipula é que nosso exterior seja coerente com nosso interior. Bem vestido por fora e revestido de Cristo por dentro. Portanto, cuidado para não denegrir quem Deus ama ou (o que é pior?) ter reverência por quem dá somente ânsias de vômito no Senhor.

Nenhum comentário:

Receba mensagens desse blog no seu E-mail