Quase desviado


Um salmista escreveu: Quanto a mim, os meus pés quase que se desviaram; pouco faltou para que escorregassem os meus passos. A causa da quase-queda foi a inveja da vida que o ímpio leva. Eles não temem a Deus, quebram todas as regras, prevalecem através do suborno, do jeitinho, da perversão, do cinismo. Enquanto eles chafurdam no pecado – e prosperam! – os filhos de Deus se poupam e são comedidos – e quase nada ou nada se percebem gratificados. Na verdade que em vão tenho purificado o meu coração, decepciona-se Asafe. É melhor ser safado, concluiu. Nada de ruim acontece a eles, enquanto nada de excepcional acontece à gente! Asafe foi ao Templo se despedir de Deus antes de cair na gandaia, amuado e se sentindo injustiçado. Antes de fazer sua despedida, o Senhor revelou a real vida e o destino do homem sem Deus! Então entendi eu o fim deles. Certamente tu os puseste em lugares escorregadios; tu os lanças em destruição. O prazer do Evangelho é infinitamente superior ao prazer do pecado. Vejo todo dia gente sendo transpassada por dores agudas, que poderiam ter sido evitadas. O pecado exalta o homem e depois o abate sem piedade. Nunca abandone o Caminho da Graça. definitivamente, pecar não compensa. Por trás da fachada de alegria exibida pelo ímpio o que há é uma terra arrasada.

Nenhum comentário:

Receba mensagens desse blog no seu E-mail