Rico, mas desalmado

"Com medo da tragédia, adoramos o poder. Com medo do sofrimento, adoramos a segurança. Com medo do fracasso, adoramos o sucesso.Durante o esplendor crescente de nossos mil prósperos anos, nos tornamos cruéis, práticos e estéreis. Conquistamos mesmo o mundo inteiro. Perdemos realmente as nossas almas". O que foi escrito acima foi dito por Robert Raynolds. A grande tragédia da vida cristã, religiosa, espiritual, dos piedosos, dos ditos cléricos é essa mesma: ganhar o mundo mas perder a alma. Ganhar o mundo para muitos é ter sucesso, é viver em seguraça financeira, é ter poder. Conquistar mentes e corações, ser dono dos outros, mandar nas vidas, parece ser o sonho dos padres e pastores de hoje. Fazer o bem? Amar gente, de verdade? Cuidar dos que sofrem? Isso é coisa para fracos. Os fortes são como Napoleão, o conquistador da Europa. Os fortes se tornam prósperos financeiramente. Mesmo que o preço seja a aridez na vida, a gente quer é o conforto, o prazer, o Deus servo do Crente-Deus. Sinceramente, perder a alma é ficar doente, com a pior doença. Perder a alma é ficar seco, estéril, insensível, pedrado e dando pedradas. Acho que deve ser interessante ser muito rico. Mas, tenho certeza, que é horroroso perder a alma no processo. Que visão triste para um que pensa ser filho ou filha de Deus: rico, mas desalmado!

Nenhum comentário:

Receba mensagens desse blog no seu E-mail