Como conversar com Satanás


“Eu repudio o título deste post! Ninguém conversa com o diabo! Eu só conversa com Deus”, parece que ouço o rejeição um ou outro leitor. Fica frio, irmão. Eu sei o que estou escrevendo. A gente não quer aceitar – eu mesmo reluto em confessar – mas conversamos com o diabo muito mais do que estamos dispostos a admitir. No Éden, ele se tornou muito intimo de Eva. Deus dialogou com ele sobre Jó. Em Mateus 4, Jesus trocou umas idéias com o capeta. Isso, sem falar no sem número de vezes em que personagens bíblicos foram induzidos ao pecado ou rechaçaram as investidas de Satanás com equilíbrio e firmeza. Não se ofenda, mas talvez ainda hoje ele já tenha conversado com sua esposa, seu marido, seus filhos, seu líder espiritual, sua mãe... Inclusive até mesmo com você! O problema não é o diabo querer conversar comigo. O problema é quando escuto o que ele tem a dizer, tento convencê-lo (pretensioso, não?) de que ele está errado, trato-o como um estranho a quem devo ouvir com educação. Muitos se tornaram grandes amigos do diabo ao conversar com ele somente uma vez! Sabe como a gente deve conversar com Satanás? Da mesma forma com que Jesus tratou ele na tentação do deserto. Jesus era dócil, misericordioso e compassivo com homens, mulheres e crianças. Mas, com o diabo, foi seco, firme, rude e respondeu somente o essencial. Nada de contemporizar, nada de por ele em evidencia, nada de gostar de ouvir seus argumentos. Jesus deu uma aula de como Satanás deve ser tratado pelos verdadeiros cristãos: a pontapés e com muita má educação. Quem trata as sugestões de Satanás com gentileza vai acabar pecando, se desviando da fé, se torna parceiro dele. Não queira conversa com ele. Se ele quiser conversar com você, vire de costas e o deixe falando sozinho. Não tenha pena dele, ele nunca terá pena de você.

Nenhum comentário:

Receba mensagens desse blog no seu E-mail