Eu não quero ser crente porque um crente fez mal a mim


Na minha jornada cristã, ouço muito, muito sofrimento, muitas asneiras e muitas desculpas. Para não entregar a vida a Cristo, e ter que renunciar muito, as pessoas saem com cada uma. A mais constrangedora das desculpas é aquela que rejeita o Mestre por causa de um discípulo. “Eu não quero nem ouvir falar de crente! Um deles enganou meu pai!”, “Eu nunca vou entregar minha vida a Jesus! Um crente, lá na escola, é um imbecil!”, “Eu até pensei em ser crente, mas conheço cada um mala!”. O argumento é tão tolinho que sinto vontade de bocejar. Quer dizer que por causa de um crente em pecado (vá lá), a gente rejeita a vida eterna, o perdão de pecados, e a alegria que vem pela fé em Jesus Cristo? Aplique isso no dia-a-dia e você verá quanta tolice está por trás dessa filosofia. Porque um funcionário da Compesa me trata mal eu rejeito beber água potável? Porque fui mal atendido na Celpe eu mando desligar a luz elétrica? Porque sofri um acidente de carro nunca mais entro numa máquina de quatro rodas? Porque um advogado foi pego traficando drogas fico intrigado de todos os profissionais do Direito? Porque na Democracia tem muitos corruptos eu devo virar um saudosista da Monarquia? Que besteira é essa? Sei de crentes que fizeram coisas realmente horríveis. Agora é que sou crente! Não jogo a água suja do banho com bebê dentro. Cada um vai dar conta de si a Deus. Tanto o delinqüente evangélico quanto o imbecil que rejeita Jesus por causa dos pecados dos outros.

Nenhum comentário:

Receba mensagens desse blog no seu E-mail