O inferno que é ser esposa de muitos pastores


O pastor Josué Gonçalves é terapeuta familiar, membro de uma das igrejas mais conservadoras do mundo. Trabalha com aconselhamento familiar desde que me entendo de gente. Um de seus artigos chamou a atenção da Missionária Isabel, de Goiânia - GO, que me enviou o texto, para minha apreciação. O pastor - nota-se o seu constrangmento - é obrigado a revelar o que se passa dentro da casa de alguns pastores. Ele diz que "não pode generalizar", que conhece "muitos pastores que tem um bom relacionamento familiar e um casamento dentro do razoável" (Pelo amor de Deus, ter um casamento dentro do razoável deve ser tão ruim como ter um casamento ruim!). Mas, segundo ele, o que preocupa "é que aumenta a cada dia o número de pastores que se vêem obrigado a viver uma vida conjugal de fachada, mostrando um casamento equilibrado que na verdade não existe, usando sempre um verniz religioso, disfarçando certa piedade, só para não perder o seu ganha pão, que é o ministério. Essa afirmação não é uma conjectura, mas uma realidade constatada a partir da confissão de esposas de pastores nas cartas, e-mail's, aconselhamento e desabafos entre amigas" (Como eu gostaria que o pastor Josué Gonçalves fosse mais preciso!). No texto, as esposas de pastores listam coisas sobre seus maridos de arrepiar. Um filme de horror. Uma sordidez digna dos piores canalhas. Lamentem comigo, enquanto ouvimos suas confissões:
1. Preferia ser apenas uma ovelha dele, nunca esposa.
2.Ele dá tudo de si para a igreja e nunca sobra o suficiente para suprir as minhas necessidades. Eu sou a ovelha mais carente da igreja.
3.Já ouvi dele: "se não fosse o meu ministério, já teria me separado de você".
3.Ele nunca prega sobre relacionamento, por que o nosso casamento é um fracasso.
4. Se a igreja soubesse quem ele é dentro de casa, não o aceitaria como pastor.
5.Meus filhos não vão à igreja por causa da hipocrisia do pai. Ele prega aquilo que não vive.
6. Meu marido-pastor não pode ver um "rabo de saia", cobiça mulheres na minha frente.
7. Estou cansada de ouvir dele: Eu não te amo mais...
8.Já ficamos mais de um mês sem conversar dentro de casa.
9. Já passamos três meses dormindo em camas separadas.
10. Ele já me agrediu fisicamente, antes de sair para a igreja onde iria dirigir um culto de oração.

São esses homens que "defendem a sã doutrina", vestem-se como deputados, disciplinam sem dó nem piedade suas ovelhas, mas que são piores que demônios dentro de casa. Ninguém consegue usar máscara o tempo todo. De vez em quando, o ator precisa ser ele mesmo. Na igreja não dá, mas em casa sempre dá para saber quem é um homem e quem é uma farsa.

Um comentário:

Allyne Evellyn disse...

Realidade triste e deprimente...
Na verdade isso não acontece só a esposas de pastores mas a todas as mulheres cujas quais os seus esposos posuem profissões de grande destaque ao público: políticos, médicos, juízes....
O deprimente é que a palavra de Deus coloca o ministério não como uma profissão mas como um ato de amor, o que na verdade deveria começar em casa...
Sabe pastor me interesso muito pela área de família e gostaria, se vc puder,que o senhor me enviasse o artigo do pastor josué Gonçalves na íntegra, para que eu pudesse iniciar minhas leituras sobre família em uma visão psicológica cristã!

Fique na Paz

Receba mensagens desse blog no seu E-mail