O dom do ódio


É inacreditável como tem crente rancoroso. São irmãos, e até alguns líderes evangélicos, que não pensam em outra coisa senão maldade, inveja, vingança, ódio. O mais inacreditável é que esses filhos do ódio usam Deus para amaldiçoar e dizem estar cheios do Espírito quando vaticinam suas maldições. “Deus vai pesar a mão, irmão, sobre meus inimigos”. São tão hipócritas que querem fazer Deus à sua imagem e semelhança ou que Deus seja instrumento em suas mãos para o mal de seus des-afetos. Nas mãos dessa gente, Deus vira deus-diabo. Entretanto, esses irmãos do ódio, não se descuidam da imagem de santidade. Continuam dizendo que falam em línguas, que tem o dom, que são os únicos guardiões da santidade e da verdade teológica. Se você vê-los num culto nem imagina quanto ódio se encontra por trás das lágrimas, da “unção, da intimidade com Deus. Queridos, por favor, ouçam o que diz João: aquele que não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor. Muita gente me fez mal, muita gente crente, evangélica, gospel. Também me sinto injustiçado e peço justiça ao Senhor. Mas, daí a festejar quando meu dês-afeto se dá mal, a sonhar com o dia da vingança gospel, a usar a língua para ferir e amaldiçoar, vai uma grande distância. Jesus orienta a amar nossos inimigos, fazer bem a quem nos persegue, abençoar – e não amaldiçoar – quem nos ofendeu ou nos prejudicou. Não adianta ser santo, santo e santo na igreja. O bom mesmo é ser santo, santo e santo com quem pensa diferente da gente.

Nenhum comentário:

Receba mensagens desse blog no seu E-mail