Crendo contra a morte



Havia uma Igreja na que reunia numa casa na ex-União Soviética, país comunista que reprimia a liberdade. A Bíblia era um livro de circulação proibida, por isso ficaram muitos felizes quando receberam um exemplar do Evangelho de Marcos. Rasgaram suas páginas e cada um ficou com uma parte para ler em casa, decorar, e trazer no culto seguinte para que outro pudesse também ser abençoado com a leitura. Num domingo, os irmãos chegaram de um em um, no máximo de dois em dois, e estavam todos reunidos para o culto - que era realizado com o máximo de silêncio, com medo da repressão policial. Minutos após o início do culto, a porta é arrombada com um barulho ensudercedor. Dois policiais munidos de pistolas semi-automáticas entram e fecham a porta. Um deles grita: Todo mundo pra parede!! Quem quiser renunciar ao Evangelho, saia agorinha mesmo! Três pessoas saíram. Depois mais um. Logo em seguida, mais dois. Esta é a última change, gente. Saia livre ou fique e sofra as conseqüências! Mais um grupo saiu, cabeça baixa, fugiram na escuridão da noite. Ninguém mais se mexeu. Quem ficou sabia que chegara a hora da morte. Agarrados a filhos e esposa, o pastor orava, tremendo. Depois de um certo tempo, um soldado fechou a porta, enquanto o outro foi ao pastor: Vamos louvar ao Senhor Jesus, irmãos! Somos crentes também! Dá cá um abraço, pastor! Perdão, irmaõs! Aprendemos que não se pode confiar em todo tipo de gente, a não ser que estejam dispostas a viver e a morrer por Jesus Cristo!

Nenhum comentário:

Receba mensagens desse blog no seu E-mail