Conversão não é adeviso!


Conversão não é adesão. “Deixei a igreja x e agora faço parte da igreja y. Me converti”. Nada disso: a pessoa aderiu a outro grupo religioso. Foi induzido, convencido, enfeitiçado, enganado, qualquer coisa, mas conversão é outra coisa, bastante diferente disso. Conversão é arrependimento que conduz a uma nova vida em Cristo. Em outras palavras, conversão é dar meia volta para voltar aos braços do Pai. O filho pródigo se converteu. Pedro se converteu. Paulo se converteu. Zaqueu se converteu. Mateus se converteu. Tomé se converteu. Eles deixaram o pecado, a religião e a insensibilidade, a estupidez. E, convertidos, começaram a viver para Deus. Ainda errando, não eram mais errantes. Conversão é mais profundo que retoques morais. Esse processo, ainda que se diga que é produzido pelo homem, na verdade é resultado da soberania do Deus Eterno. A gente não se converte. Deus converte a gente. Quem passa pelo processo de conversão não deseja andar por outro caminho que não seja o Caminho. Sinto saudade do tempo em que Deus convertia a gente, os eleitos do Pai. Agora, a gente é quem “se converte a” deus (assim mesmo, com minúsculo). Antes, Deus era quem escolhia os eleitos. Agora, são os religiosos que escolhem o deus que melhor lhe convier, e a isso damos o nome de conversão. Conversão é mudança de natureza e ninguém pode mudar sua própria natureza. Só Deus pode.

Nenhum comentário:

Receba mensagens desse blog no seu E-mail